“Guerrilha Urbana” tentou mudar forma de fazer teatro em Santarém

A intervenção, oficina e performance “Guerrilha Urbana” teve hoje, dia 23 de Fevereiro, a sua última performance, com os alunos de teatro EB Alexandre Herculano e de um aluno do curso de Artes de Espectáculo da Escola Secundária Dr. Ginestal Machado.

Pelas 10h00, o Coreto do Jardim da República foi o ponto de partida. Durante quase duas horas, os jovens actores circularam pelas ruas do Centro Histórico, às vezes silenciosos, outras vezes dançando, provocando reavções aos transeuntes e pelo caminho entregavam um envelope com um cartão e um soldado questionando-os: “Pelo que lutava na minha cidade?”.

As respostas, colocadas no final da performance no monumento Salgueiro Maia, vão ser oferecidas aos responsáveis pela cultura da Cidade.

Após 4 dias de formação e de duas performances com o actor, encenador e criador de textos para teatro, Ricardo Correia, e com bailarina, música, coralista e professora de dança, Rita Grade, espera-se que os jovens alunos, que sonham em seguir teatro, tenham conseguido derrubar as tradicionais formas de fazer teatro e de intervir no espaço público.

Esta acção, realizada através do projecto municipal Santarém Cultura, com as escolas Alexandre Herculano e Ginestal Machado, desenhou um trajecto no território e interferiu com o quotidiano da cidade provocando os cidadãos a pensar e intervir no espaço público da cidade onde se realizou, através da performance orientada por Ricardo Correia e Rita Grade, e de uma simples pergunta colocada: “Por o que lutava na sua cidade?”.

info, , ,

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS