O Hospital Distrital de Santarém (HDS) vai começar, gradualmente, a retomar a actividade regular. A decisão da Administração do hospital ocorre numa altura em que a pressão sentida devido à Covid-19 está, finalmente, a aliviar, o que permitiu reduzir o número de camas em enfermaria para doentes com Covid-19 e, consequentemente dar resposta à procura crescente de doentes não covid.

Segundo Paulo Sintra, director clínico do HDS, no último ano o hospital manteve, dentro do que a pandemia permitia, a resposta em todas as áreas mais sensíveis. “Todos os tratamentos a doentes oncológicos e crónicos foram realizados ou reagendados dentro dos tempos tidos como seguros. Tanto a radioterapia, como a quimioterapia e, especialmente, a cirurgia de doentes oncológicos mantiveram níveis de excelência”, refere. E acrescenta:

“Se no pior período da pandemia alguns indicadores caíram para valores preocupantes, em Dezembro de 2020 já mostravam franca recuperação. Exemplo disso é a percentagem de doentes oncológicos tratados dentro do tempo máximo de resposta garantido (TMRG), que em Janeiro de 2020 se situava nos 77%, e em junho de 2020 tinha caído para 46% e em Dezembro havia recuperado para 83%, tendo como objetivo atingir os 95% ainda este ano.”

PUBLICIDADE

De acordo com o responsável, “a gestão rigorosa de recursos e capacidade, assim como a resiliência dos seus colaboradores, permitiu evitar repercussões mais graves da pandemia na saúde da população que o hospital serve ”.

Adicionalmente, refere, “a articulação em rede, recebendo e enviando doentes de e para diferentes pontos do país (e que ainda continua na área da Saúde Mental), com destaque para a ARSLVT e, em especial, com o ACES Lezíria, foi a pedra de toque para que um sistema já habitualmente sobrelotado e sobre utilizado conseguisse enfrentar e ultrapassar o maior desafio de saúde do século”.

Paulo Sintra sublinha o trabalho desenvolvido pelos profissionais de saúde, aos quais, refere, “devemos o bom trabalho e os bons resultados!”

Em 2020, o HDS realizou 132.228 consultas reduzindo o tempo médio de espera por consulta dos 151 dias em junho de 2020 para os 96 dias em dezembro de 2020, tendo apenas 10% das suas consultas em espera com mais de 9 meses.

Por sua vez, foram realizadas 6.017 cirurgias permitindo recuperar a mediana de tempo de espera para cirurgia de 6,8 meses para 5,2 meses.

“Apesar de algumas fragilidades a melhorar, o Hospital de Santarém, com o apoio de todos os seus parceiros, diretos e indiretos e, principalmente, com o carinho da população que serve, expresso tantas vezes e de formas tão diversas, voltou a demonstrar vitalidade crescente naquele que foi o pior momento dos serviços de saúde portugueses em 100 anos”, afirma Paulo Sintra.

PUBLICIDADE
Leia também...

Alterações ao Código da Estrada entram em vigor amanhã com multas agravadas

As alterações ao Código da Estrada aprovadas em Novembro entram na sexta-feira,…

Homem morre esmagado em acidente de trabalho em Alpiarça

Um homem morreu num acidente de trabalho, esmagado por uma máquina de…

Morreu Asdrúbal, figura de Santarém

Asdrúbal, figura icónica e popular de Santarém, faleceu na madrugada deste domingo,…

Só Coruche e Sardoal escapam ao recolher obrigatório às 13h00 no fim-de-semana

Os concelhos de Coruche e Sardoal são os únicos, no Distrito de…