A Infraestruturas de Portugal (IP) lançou o concurso público relativo à empreitada de modernização da linha ferroviária de Vendas Novas, com um preço-base de 85 milhões de euros, anunciou hoje a empresa.

Segundo a IP, em comunicado enviado à agência Lusa, a empreitada de Modernização da Linha de Vendas Novas tem como “principal objectivo a ampliação das estações para permitir o cruzamento de comboios de 750 metros de comprimento”.

A intervenção visa potenciar “as condições de exploração” da linha e reforçar “a ligação ferroviária do Porto de Sines com as plataformas logísticas nacionais e com a Europa”.

PUBLICIDADE

Os trabalhos, com um prazo de execução de 36 meses, incluem a “substituição da superestrutura de via com utilização de travessas polivalentes de betão e carril 60 E1”, o “prolongamento e renovação das Estações de Muge, Agolada, Salgueirinha, Lavre e Vidigal” e a “renovação das restantes estações”.

A empreitada integra também obras de terraplanagem, drenagem e reperfilamento de taludes, 17 quilómetros de tratamento da plataforma (alguns em estações), 69 passagens hidráulicas e três pontões metálicos (que requerem suspensão de via).

O encerramento de seis passagens de nível (PN) e a construção de quatro passagens superiores rodoviárias com os respectivos restabelecimentos, a automatização de várias PN e a construção de infra-estruturas de suporte à componente de sinalização e telecomunicações também constam do projeto em concurso.

A IP referiu que estão envolvidos ainda trabalhos como e reabilitação/reformulação e/ou implementação de drenagem, adaptação das instalações fixas de tracção eléctricas e obras em edifícios e salas técnicas, entre outros.

A linha ferroviária alvo do concurso “desenvolve-se ao longo de 69,375 quilómetros, entre Setil, onde cruza a Linha do Norte, e Vendas Novas, onde intersecta a Linha do Alentejo”, atravessando os concelhos de Cartaxo, Salvaterra de Magos, Coruche, Montijo, Montemor-o-Novo e Vendas Novas, explicou a empresa.

“Actualmente, a linha é exclusivamente percorrida por composições de mercadorias, assumindo-se como um dos principais eixos de mercadorias entre Norte-Sul”, disse.

Ao circularem por este itinerário ferroviário, “os comboios de mercadorias evitam a passagem pela zona de Lisboa, que apresenta duas significativas restrições”, nomeadamente “as limitações de carga na Ponte 25 de Abril e a saturação da capacidade, sentida já na Linha de Cintura e sobretudo na Linha do Norte”.

“Assim, a Linha de Vendas Novas, que integra o Corredor Internacional Sul do Ferrovia 2020, é fundamental para promover um transporte de mercadorias mais eficiente e assim potenciar a competitividade da economia nacional”, vincou a IP.

O concurso agora lançado integra uma candidatura submetida no âmbito do COMPETE 2020, com a designação “Empreitada de Modernização da Linha de Vendas Nova”.

PUBLICIDADE
Leia também...

‘Casa em Santarém’ nomeada para o prémio internacional de arquitectura

O projecto ‘Casa em Santarém’ da empresa dp arquitectos está nomeado para…

Rotary Clube de Santarém distingue Sílvia Carreira como profissional do ano

Sílvia Carreira, directora técnica do Lar Gualdim, do Centro Social Interparoquial de…

Câmara de Santarém pede 270 mil euros ao BEI para requalificação de avenida

A Câmara de Santarém aprovou hoje a contracção de um empréstimo de…

Aberto concurso para ingresso de 10 bombeiros para os Sapadores de Santarém

A Câmara de Santarém abriu um Concurso Externo de Ingresso para 10…