A associação Materiais Diversos (MD) vai ser apoiada em 2021 pelo programa Arte Sem Limites – Acessibilidade à oferta artística, contando com financiamento para acções destinadas a públicos com deficiência ou mobilidade reduzida.

“Após um ano de pesquisa e preparação de um plano de acessibilidade, ganhámos o Programa de Apoio em Parceria Arte Sem Limites – Acessibilidade à oferta artística, promovido pela Direção-Geral das Artes em parceria com a Acesso Cultura”, num apoio que “vai permitir melhorar, em muitas vertentes, as condições de acesso ao programa da Materiais Diversos”, lê-se num comunicado da associação.

O projeto “Materiais Acessíveis” prevê, para o programa regular de 2021, a realização de acções de sensibilização e formação, bem como a promoção da acessibilidade e participação nos espectáculos programados e no Festival Materiais Diversos, agendado para Outubro próximo, e ainda dispositivos de acessibilidade para Projectos Associados em difusão.

PUBLICIDADE

Na primeira vertente, a Materiais Diversos vai realizar “acções práticas (oficinas) e teóricas (formação e mesas redondas) de aproximação às artes para públicos com deficiência e/ou com mobilidade reduzida, além de formação para técnicos de animação cultural”, tendo convidado artistas e outros profissionais com experiência com estes públicos e uma artista com deficiência, para garantir a adequação das propostas.

“São acções que visam, ora a sensibilização e formação de parceiros e decisores/actores relevantes, ora a oportunidade de participação para novos públicos (pessoas com deficiência e/ou com mobilidade reduzida)”, lê-se na nota de imprensa.

A Materiais Diversos, que desenvolve a programação regular nos concelhos do Cartaxo e de Alcanena, salienta a importância da parceria com entidades locais, para que as acções promovidas sejam “momentos de referência e com grande abrangência de decisores/actores da região”.

Na segunda vertente, está prevista a introdução de dispositivos de acessibilidade para pessoas com deficiência auditiva, visual ou mobilidade reduzida aos espectáculos integrados no programa regular ao longo de 2021 e no Festival Materiais Diversos, nomeadamente no acesso ao Ponto de Encontro do FMD 2021, no Centro Cultural do Cartaxo.

“São escolhidos espectáculos específicos do programa previsto para incluir estes dispositivos, que privilegiam a área da dança (área central da Materiais Diversos) e temas que consideramos particularmente urgentes (emancipação feminina ou alterações climáticas)”, afirma a associação, adiantando que serão construídas rampas portáteis para vencer desníveis em espaços não convencionais utilizados no Festival.

Na terceira vertente, serão introduzidos dispositivos de acessibilidade em espectáculos já criados, seleccionados de entre os Projetos Associados MD, “cuja difusão se pretende mais alargada, informada e democraticamente participada, visando igualmente sensibilizar e comprometer novos actores culturais com o acesso para públicos com deficiência e S/surdos” (que falam ou não língua gestual).

Segundo a MD, serão encomendados guiões de audio-descrição para os espectáculos “Coreografia”, de João dos Santos Martins, e “SubLinhar”, de Marta Cerqueira.

Está ainda prevista uma avença para coordenação de acessibilidade, de modo a “garantir a correcta implementação do projeto, o adequado envolvimento dos públicos e a máxima capacidade de sensibilização de decisores locais”, acrescenta a associação. 

Na primeira ‘newsletter’ do ano, a MD anuncia ainda que tem abertas, até 10 de Fevereiro, as inscrições para o ‘open call’ que, anualmente, permite a selecção de um projeto de dança de um/a artista ou colectivo, sem vínculo a uma estrutura de produção, que beneficiará de consultoria pela equipa da Materiais Diversos.

Por outro lado, Anabela Almeida e Sara Duarte, do Teatro Meia Volta, estão em residência de pesquisa para o espectáculo “Palmira”, uma “nova criação que se foca sobre a identidade feminina e, num sentido mais amplo, em aspectos fundamentais das relações de género e familiares”.

Para o espectáculo, que estreia no Festival Materiais Diversos, em Outubro de 2021, Anabela Almeida e Sara Duarte procuram testemunhos de pessoas do Cartaxo e de Alcanena, afirma a nota da Materiais Diversos.

Em 2021, a rubrica “O Tempo das Cerejas” passa a um novo formato, disponibilizando ‘podcasts’ com artistas e sobre actividades do programa regular da associação.

No “O Tempo das Cerejas” deste mês, Judite Canha Fernandes e Maria Gil vão conversar sobre “as múltiplas lutas das mulheres” nos tempos actuais, afirma a nota.

Para “O Tempo das Cerejas”, a Materiais Diversos estabeleceu ainda uma parceria com o curso de Design de Comunicação, da Escola Artística António Arroio, no âmbito da Formação em Contexto de Trabalho, estando alunos da especialização em Design Gráfico a desenvolver um projeto editorial para esta rubrica.

Entre as iniciativas agendadas para este mês, está mais uma apresentação, dia 31, no Teatro Aveirense, do projeto associado da Materiais Diversos “SubLinhar”, de Marta Cerqueira.

PUBLICIDADE
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Leia também...

VÍDEO | Celestino Graça nasceu há 107 anos!

Cumprem-se neste sábado, dia 9 de Janeiro, cento e sete anos sobre…

Conservatório de Música de Santarém cria programa de formação em dança

O Conservatório de Música de Santarém iniciou este ano lectivo um programa…

Visitas ao Castelo de Almourol suspensas devido ao elevado caudal do Rio Tejo

A Câmara Municipal da Barquinha decidiu suspender, a partir de hoje e…

FOTOS | Marquês de Sá da Bandeira homenageado no 145º aniversário da sua morte

Bernardo de Sá Nogueira de Figueiredo, também conhecido como Marquês de Sá…