Materiais Diversos permitiu investimento de quase 1 milhão de euros numa década em Alcanena

O concelho de Alcanena beneficiou, na última década, de um investimento próximo de um milhão de euros fruto da parceria com a Materiais Diversos, que realizou cerca de 400 espectáculos, oficinas, residências artísticas, debates, conversas, exposições, envolvendo 70 mil espectadores.

O impacto da actividade da associação Materiais Diversos (MD) no concelho de Alcanena foi apresentado no sábado à tarde, no Cineteatro Rogério Venâncio, em Minde, numa sessão na qual foi igualmente apresentado o livro “Paisagens Imprevistas – Outros lugares para as artes performativas”, que reflecte sobre 10 edições de Festival Materiais Diversos (FMD) e “traz diferentes olhares sobre o panorama da criação e programação artística fora das grandes cidades”.

No âmbito da celebração das dez edições do FMD, a associação realizou um “trabalho de análise do seu investimento e impactos nos territórios onde actua e das suas relações com habitantes, organizações privadas e públicas e empresas locais”, refere o ‘dossier’ de balanço da Materiais Diversos.

PUBLICIDADE

Nessa análise, a MD conclui que investiu no concelho de Alcanena um valor de 717.095 euros, a que se somaram 220.000 euros (170.000 dos quais no período entre 2009 e 2014) assumidos pelo município, tendo realizado neste território um total de 384 actividades, a que assistiram 61.555 pessoas.

“Ao longo de uma década, o concelho de Alcanena tornou-se o ponto de encontro entre diversos públicos da região e de outros pontos do país, profissionais e não profissionais, com a activação de espaços convencionais e não convencionais, desde teatros, praças, jardins, museus, edifícios abandonados, escolas, entre outros”, realça a MD.

A parceria entre a Materiais Diversos e a Câmara Municipal de Alcanena surgiu da “articulação entre a reabertura do Cineteatro São Pedro”, depois de 22 anos de inactividade, e o reconhecimento” de que a associação “poderia desenvolver uma programação cultural transversal ao concelho”, salienta.

Essa aposta, do actual e do anterior executivo autárquico, inseriu-se na “afirmação da cultura como factor de desenvolvimento, criando oportunidades iguais no acesso da população a várias expressões culturais, permitindo aos jovens artistas locais fixarem-se na região e relançando a cultura como pilar de formação humana ao longo da vida”, acrescenta.

A associação alargou a sua presença ao município do Cartaxo, sublinhando a importância destas parcerias numa região (Médio Tejo e Lezíria) “em que raros são os projectos profissionais de referência, em particular no campo das artes performativas”.

“Através do festival e do programa regular de desenvolvimento de públicos, a Materiais Diversos tem investido no tecido cultural da região, afirmando-o no contexto nacional e internacional”, sublinha a associação.

Estrutura criada em 2003 pelo coreógrafo Tiago Guedes (natural de Minde), a MD passou a ter direcção artística de Elisabete Paiva a partir de 2015, dando início a um “trabalho exaustivo de escuta da população, dos agentes locais e das suas necessidades”, o que tem vindo a “proporcionar uma crescente aproximação e cumplicidade com a comunidade local”.

A MD tem desenvolvido na região “uma programação diversificada, envolvendo distintos públicos, parceiros e equipas artísticas” e implementado um “programa educativo artístico, através de múltiplas oficinas e projectos continuados liderados por profissionais especializados, desenvolvidos com crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos, que têm decorrido em parceria com várias organizações locais”.

“Importa salientar que a Materiais Diversos, procurando contrariar o desinvestimento progressivo que se tem sentido na região, tem optado, na sua grande maioria, pela contratação de serviços prestados por fornecedores locais, investindo na economia local e regional, em consequência da actividade directa e indirecta decorrente das várias iniciativas que promove”, refere ainda.

Além do apoio a diversos artistas e projectos – com projectos associados dos artistas Alex Cassal & Paula Diogo, Catarina Miranda, Filipa Francisco, João dos Santos Martins, Marcelo Evelin e Marta Cerqueira -, a associação promove, desde 2009, o Festival Materiais Diversos, que adoptou, em 2017, um formato bienal, e desenvolve um Programa Regular de Desenvolvimento de Públicos nos municípios de Alcanena e do Cartaxo.

“Reconhecida, nacional e internacionalmente, pelo seu papel no apoio à criação e difusão de artistas, nomeadamente do coreógrafo Tiago Guedes, seu co-fundador e primeiro director artístico, a Materiais Diversos tornou-se uma das pioneiras, em Portugal, do movimento de valorização e desenvolvimento cultural fora dos grandes centros, através da criação do Festival Materiais Diversos, em 2009”, afirma.

A Materiais Diversos é uma estrutura profissional independente, financiada pelo Ministério da Cultura, através da Direcção-Geral das Artes.

Está integrada na REDE – Associação de Estruturas para a Dança Contemporânea, no projecto de cooperação internacional MORE THAN THIS e na rede informal BeMyGuest – Network for Emerging Practices.

Em 2017 e 2019, o Festival Materiais Diversos recebeu o selo EFFE da European Festivals Association/ Comissão Europeia, como reconhecimento da sua qualidade artística e pertinência.

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS