A Comunidade Intermunicipal (CIM) do Médio Tejo e a Câmara de Comércio de Pequenas e Médias Empresas Portugal-China assinaram, no dia 25 de Janeiro, em Tomar um protocolo de cooperação com o objectivo de promover a internacionalização das empresas da região.

Em comunicado, a CIM do Médio Tejo refere que “abriu as suas portas para a China, intensificando as relações institucionais através de um protocolo de cooperação que tem como objectivo estabelecer fortes ligações com aquele país”, e que resulta de um protocolo hoje assinado na sede da CIM, em Tomar, no distrito de Santarém.

A cerimónia contou com a presença da presidente da CIM do Médio Tejo, Anabela Freitas, e do presidente da Câmara de Comércio de Pequenas e Médias Empresas Portugal-China, Y Ping Chow.

PUBLICIDADE

O acordo entre as duas entidades prevê um conjunto de iniciativas, entre as quais a “procura e selecção, em cada país, de projectos e iniciativas que possam conduzir a acções de cooperação conjunta”, a par da “difusão e intercâmbio regular de informação sobre as actividades desenvolvidas por ambas as instituições”, bem como sobre “programas e iniciativas que possam contribuir para o reforço da cooperação, através da manutenção actualizada de uma carteira de oportunidades existentes”.

O documento hoje assinado prevê ainda “apoio à organização, promoção, divulgação e participação mútua em feiras e mostras, conferências temáticas bilaterais e acções de transferência de tecnologia/bolsas de contacto empresariais em áreas de interesse de acordo com a especialização produtiva da região”, a par da participação em missões externas conjuntas, colaboração em acções que configurem oportunidades de penetração em mercados externos e, por último, apoio ao desenvolvimento de projectos inovadores conjuntos de cooperação.

Citada em nota de imprensa, Anabela Freitas disse que a mais valia do protocolo de cooperação estava centrada “sobretudo na internacionalização das empresas do Médio Tejo”, tendo referido existir um “grande interesse pela cidade de Changchun, com sete milhões de habitantes”, cidade com a qual já está “preconizado um entendimento”.

A presidente da CIM Médio Tejo, segundo a mesma nota, disse que “o Médio Tejo é uma região que usufrui de uma posição geográfica privilegiada pela sua localização central e proximidade à capital administrativa do país, Lisboa”, tendo acrescentado que a “região congrega zonas industriais, com infra-estruturas dotadas de todas as condições para atrair pequenas, médias e grandes empresas, onde o emprego e mão de obra qualificada assentam na forte tradição industrial”.

O presidente da Câmara do Comércio Portugal-China, Y Ping Chow, referiu que através do protocolo “será possível criar uma equipa de trabalho para melhor conhecer a região do Médio Tejo e perceber o que se pode fazer por cá”, pode ler-se na mesma nota.

“Se o Médio Tejo conseguir estabelecer uma boa relação com Changchun será importante, pois é uma cidade com várias fábricas, desde a construção de comboios, camiões, carros, uma indústria pesada, bastante forte e com 7 milhões de pessoas”, disse.

O protocolo de cooperação assinado é válido por um período de dois anos, considerando-se automaticamente renovado, por períodos de um ano.

PUBLICIDADE
Leia também...

‘Casa em Santarém’ nomeada para o prémio internacional de arquitectura

O projecto ‘Casa em Santarém’ da empresa dp arquitectos está nomeado para…

Mercadona constrói maior bloco logístico da empresa em Almeirim

A Mercadona, maior cadeia espanhola de supermercados, anunciou que vai construir um…

Moinho de Fau e Restaurante no Jardim das Portas do Sol colocados em hasta pública

A Câmara Municipal de Santarém vai realizar um hasta pública, no próximo…

Rotary Clube de Santarém distingue Sílvia Carreira como profissional do ano

Sílvia Carreira, directora técnica do Lar Gualdim, do Centro Social Interparoquial de…