Militares de Abril sobem ao palco em “Esta é a Madrugada que eu Esperava”

A reconstituição encenada “Esta é a Madrugada que eu Esperava”, encheu por duas vezes, esta noite, o Convento de São Francisco, em Santarém. Com texto da autoria do Coronel Joaquim Correia Bernardo o espectáculo abordou os momentos vividos na Escola Prática de Cavalaria que antecederam a saída da coluna militar liderada pelo Capitão Salgueiro Maia, rumo a Lisboa, na Revolução de 25 de Abril de 1974.

A produção do espectáculo esteve a cargo de Nuno Domingos que também assinou a encenação a par com Berta Pereira. O espectáculo contou com actores e actrizes amadores e profissionais do concelho de Santarém e com bailarinos e bailarinas profissionais de Santarém.

Momento mais marcante da noite, na primeira sessão, foi a chamada ao palco de militares que participaram na Revolução dos Cravos, nomeadamente o cabo José Alves Costa que recusou a ordem de disparar sobre Salgueiro Maia, no Terreiro do Paço.

As comemorações dos 45 anos do 25 de Abril em Santarém prosseguem esta quinta-feira com uma manhã desportiva e, pelas 11h00, terá lugar a cerimónia “Cravos para Salgueiro Maia”, junto ao Monumento ao Capitão de Abril que contará com a participação de familiares, amigos, de militares da Coluna de Salgueiro Maia, ex-militares que participaram na Revolução dos Cravos, da Câmara de Santarém, da Comissão das Comemorações do 25 de Abril – Associação Cultural e da população.

Às 12h30, terá lugar o Almoço Festivo do 25 de Abril e, pelas 17h30, terá início o Encontro de Coros, promovido pelo Coro do Círculo Cultural Scalabitano, na Igreja da Graça, com a participação dos grupos Allegreto (Braga), Coral Polifónico do Oeste (Guia, Pombal), Grupo Coral de Tancos e Coro do Círculo Cultural Scalabitano.

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS