Morreu um dos militares da GNR envolvidos no acidente na A1

Carlos Pereira, um dos militares da Brigada de Trânsito da GNR de Santarém, acabou por não resistir aos ferimentos causados pela colisão entre um automóvel e o carro-patrulha da GNR, na passada terça-feira, 7 de Julho, na Autoestrada 1 (A1), no sentido Norte-Sul, entre o nó de Torres Novas e área de serviço de Santarém.

Após o acidente, o guarda de 27 anos de idade foi transportado Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital de Santarém, com ferimentos muito graves ao nível de tórax e do tronco tendo ficado com vários órgão vitais afectados. O militar acabou por não resistir aos ferimentos e veio a falecer esta quarta-feira, na unidade hospitalar.

Já a segunda militar, uma mulher de 31 anos de idade, sofreu ferimentos a nível cervical está internada no Hospital de São José, em Lisboa, em estado considerado crítico e com prognóstico reservado.

PUBLICIDADE

Os dois militares estavam destacados no Comando Territorial de Santarém há poucos meses e são oriundos da zona de Castelo Branco.

O acidente ocorreu ao quilómetro 85 da autoestrada, pelas 11h36, quando o carro-patrulha da GNR estaria a sinalizar o local durante uma operação de limpeza das bermas da via.

Uma viatura ligeira de passageiros não se terá apercebido da presença da viatura e embateu com extrema violência na viatura da guarda.

Os operacionais da GNR ficaram inconscientes e encarcerados no interior da viatura até à chegada dos meios de socorro.

O acidente provocou ainda três feridos ligeiros, ocupantes da viatura que embateu no carro-patrulha.

Estiveram presentes nas operações de socorro 32 operacionais apoiados por 13 viaturas.

O trânsito esteve a circular pela faixa de emergência até cerca das 14h00 após o termino dos trabalhos de socorro e limpeza da via.

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS



Comentários