Município de Ourém vai construir Passadiço do Agroal e um centro de documentação

O Município de Ourém aprovou o projecto para a construção do Passadiço do Agroal e anunciou ainda a criação do Centro de Documentação Joaquim Ribeiro, estrutura que vai nascer no edifício devoluto da antiga Escola Primária de Zambujal.

Em nota de imprensa, a Câmara de Ourém, no distrito de Santarém, informa que o projecto de execução referente à construção do Passadiço do Agroal foi aprovado na última reunião de Câmara, por unanimidade.

O projecto prevê a construção de uma estrutura enquadrada ecológica e paisagisticamente na margem esquerda do Rio Nabão, que fará a ligação entre o Parque Natureza e a Praia Fluvial do Agroal.

Com uma extensão de aproximadamente 780 metros, a intervenção proposta tem um valor estimado na ordem dos 368 mil euros, acrescidos de IVA, e será submetida a uma candidatura integrada no âmbito do Programa Operacional Regional do Centro (Centro 2020), que deverá possibilitar um financiamento de cerca de 200 mil euros.

“As propriedades terapêuticas da nascente da Praia Fluvial, a envolvente paisagística e natural (integrada em Rede Natura 2000) e a natureza cársica da região tornam o Agroal como um local de referência para turismo de natureza”, acrescenta a nota de imprensa.

O percurso foi projectado de forma a não alterar as condições ecológicas (solo, fauna, flora, etc.) do espaço e a estrutura em madeira será sobrelevada em praticamente toda a sua extensão.

Existem dois percursos pedestres que passam pelo Agroal e com a construção do Passadiço, coincidente com ambas as rotas, será possível valorizar e requalificar o local.

O Passadiço do Agroal pretende também apresentar alternativas aos muitos utilizadores da Praia Fluvial (especialmente na época veraneante), com a disponibilização de um acesso seguro e com qualidade ambiental para todos os transeuntes que normalmente percorrem a estrada entre o Parque Natureza e a Praia Fluvial.

Assim, será possível promover o estacionamento existente no Parque Natureza e diminuir a utilização do espaço viário para estacionamento indevido.

Na mesma reunião de executivo, liderado por Luís Albuquerque, foi apresentado do projecto de execução do Centro de Documentação Joaquim Ribeiro, estrutura que vai nascer no edifício devoluto da antiga Escola Primária de Zambujal.

Este projecto resulta do protocolo firmado entre o Município de Ourém e o munícipe Sérgio Ribeiro, que define a doação do acervo documental e bibliográfico do antigo eurodeputado e membro da Assembleia Municipal à autarquia.

Com uma estimativa orçamental na ordem dos 137 mil euros e um prazo estimado de execução de 11 meses, o centro irá disponibilizar o acervo “para visita e transmissão de conhecimento, em grande medida sobre a União Europeia, Economia e a História de Ourém”, informa a autarquia.

O projecto de execução contempla uma intervenção interior de adaptação à nova funcionalidade do espaço e de resolução de algumas patologias detectadas. Terá duas salas principais (Tertúlia e Biblioteca), um espaço de cafetaria de apoio, vestíbulo, área de arrecadações de apoio e instalações sanitárias.

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS