Municípios do Médio Tejo adquirem 750 computadores para ensino à distância

Os 13 municípios do Médio Tejo adquiriram 750 computadores portáteis para entregar às escolas e aos alunos carenciados no âmbito do ensino à distância, um investimento na ordem dos 260 mil euros.

Em comunicado, os municípios e a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Médio Tejo dão conta que o objectivo é o de “garantir um contributo importante aos Agrupamentos de Escolas, especialmente num contexto de emergência nacional”, devido à pandemia covid-19 e que levou ao encerramento das escolas, tendo adiantado que o processo de distribuição dos 750 computadores portáteis aos municípios e Agrupamentos de Escolas da região começou na terça-feira.

Em declarações à agência Lusa, o secretário executivo da CIM Médio Tejo sublinhou a “necessidade de disponibilizar recursos tecnológicos”, de modo a “salvaguardar que os alunos mais desfavorecidos e que não disponham de recursos tecnológicos adequados ao ensino à distância tenham acesso a todas as ferramentas necessárias”.

PUBLICIDADE

A iniciativa, observou Miguel Pombeiro, surge integrada no Plano Estratégico de Desenvolvimento Intermunicipal da Educação no Médio Tejo (PEDIME), que contempla o programa intermunicipal “Miúdos Digitais” com o objectivo de proporcionar aos alunos do pré-escolar e primeiro ciclo do ensino básico um primeiro contacto com os suportes digitais.

No início deste ano lectivo, já tinham sido disponibilizados cerca de 700 tablets no âmbito deste projecto, um investimento na ordem dos 200 mil euros por parte dos 13 municípios, “totalizando assim cerca de 1.450 equipamentos ao serviço da educação”, notou.

A aquisição destes novos 750 computadores portáteis, adiantou Pombeiro, “representa um encargo de cerca de 260 mil euros” e conta com o apoio da União Europeia e do Portugal 2020, através do Fundo Social Europeu, no âmbito do Programa Operacional Regional do Centro 2020.

Miguel Pombeiro disse ainda que “os computadores portáteis não têm acesso acoplado à internet, sendo as autarquias que, caso a caso, vão adquirindo consoante as necessidades dos alunos e da cobertura das operadoras”, havendo “zonas sombra” em alguns territórios.

“Há alguns pequenos lugares no território com zonas sombra em termos de cobertura de rede internet e os municípios estão a tentar resolver caso a caso, através de descodificadores ou pacotes de acesso à internet por satélite”, disse aquele responsável.

Com uma área geográfica de 3.344 quilómetro quadrados, a CIMT integra os concelhos de Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Tomar, Torres Novas, e Vila Nova da Barquinha e Sertã e Vila de Rei, com um total de 247.330 habitantes (censos 2011).

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS



Comentários