Com a idade chegam os cabelos brancos e também ficamos carecas. Isso resolve-se com um boné.

Se a velhice nos traz falta de vista. Compramos óculos graduados.

Não ouvimos bem, usamos um auricular. Mesmo que não resulte ninguém dará por isso (só o próprio que é mouco).

Perdemos os dentes, e não vale a pena procurá-los em lado nenhum. Resolve-se com uma dentadura postiça.

PUBLICIDADE

Aumentam as diabetes, reduzimos o açúcar.

Sobe a tensão arterial, comemos menos e sem sal.

Com problemas de circulação sanguínea fazemos exercício físico.

Se ficamos com barriga grande, compramos uma cinta para disfarçar, ou deixamos de comer (desaparece a barriga e tudo o mais).

Perdemos massa muscular, vamos ao ginásio (está na moda).

Para a incontinência uma fralda ou saco apropriado.

Para a flora intestinal o tal Citrin que o Goucha usa para as unhas dos pés e diz que faz bem a tudo!

Se coxeamos, lá vamos de bengala.

Com diarreia ficamos em casa a chá e torradas.

O mau hálito desaparece mantendo a boca fechada (aconselhável para muitos políticos).

A falta de sexo provoca amnésia e outras coisas que já não me lembro… Se não temos o mesmo desejo sexual mudamos a dose semestral para anual (vou ver no calendário se é hoje).

Conclusão: há remédio para tudo!

Até para a morte. Trate do assunto numa agência funerária perto de si, e não se preocupe. Eles tratam-lhe da saúde!

In: ‘Correio do Ribatejo’ de 19 de Abril de 2019

PUBLICIDADE
Leia também...

40 graus à sombra

Está um calor do caraças! “Do caraças” é uma expressão idiomática que…

25 ‘Chonices’ – In Memoriam

Em homenagem a Carlos Oliveira, colaborador deste Jornal de há longa data,…

Se calhar vou preso

Por esta é que eu não esperava! O escritor industrial José Rodrigues…

A extinção das espécies

As moscas seduzem os moscos e zum, zum, zum… zum, zum, zum!…