Novos testes revelam “evolução positiva” em surto no Entroncamento

 O número de utentes do Lar dos Ferroviários, no Entroncamento, infetados com o coronavírus SARS-CoV-2, baixou de 45 para 39, tendo um dos cinco utentes internados tido alta hospitalar, disse hoje o presidente da Câmara.

Após a realização de novos testes, na quinta-feira, “registou-se uma evolução positiva”, disse hoje à Lusa Jorge Faria, acrescentando que os resultados indicam que, de um total de 70 utentes testados, 31 estão negativos (17 recuperados e 14 negativos), e que 39 mantêm-se positivos (35 em isolamento no lar e quatro internados no CHMT – Centro Hospitalar do Médio Tejo).

Um mês depois do início do surto, o número de óbitos de utentes do Lar dos Ferroviários é de sete, todos com idades “entre os 84 e 100 anos”, disse o presidente.

PUBLICIDADE

Quanto aos 80 funcionários da instituição, Jorge Faria revelou que houve cinco casos que negativaram, estando hoje 10 positivos (09 em isolamento e um internado no CHMT), havendo um profissional que continua a aguardar resultado.

O número de funcionários negativos é hoje de 69 (26 recuperados e 43 negativos).

O valor hoje atualizado de casos de covid-19 na instituição decorre da realização de novos testes a utentes e funcionários, num total de 112.

Lamentando todas as mortes ocorridas, o autarca salientou que uma delas não foi formalmente contabilizada como sendo devido à covid-19 e todas ocorreram com pessoas de idade muito avançada e com situações de saúde “já muito frágeis”, devido a outras doenças, estando todas hospitalizadas.

Os utentes infetados que se encontram no lar permanecem assintomáticos, adiantou.

Jorge Faria referiu que há, neste momento, 10 funcionárias infetadas – a que foi internada continua no hospital apenas por não possuir as condições para cumprir o isolamento em casa.

Com o regresso das funcionárias entretanto recuperadas, mais as que reforçaram a equipa (quatro disponibilizadas pelo município, duas contratadas através do Instituto do Emprego e uma a duas que têm sido enviadas pela Segurança Social através da Cruz Vermelha), o funcionamento tem sido mantido “com normalidade”, salientou.

Os primeiros casos no Lar dos Ferroviários do Entroncamento foram conhecidos no dia 10 de Setembro.

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS