O Núcleo de Santarém da Liga dos Combatentes assinalou, no domingo, 19 de Maio, o seu 95.º aniversário com um almoço comemorativo onde reuniu cerca de 170 sócios, familiares e amigos. Marcaram igualmente presença os presidentes dos Núcleos da Liga dos Combatentes de Vila Franca de Xira e de Rio Maior.

Para o presidente do Núcleo de Santarém da Liga dos Combatentes, Carlos Pombo, o momento é “sinónimo de festa, de confraternização familiar e de amigos, de congratulação com o tempo passado e sua história”, sem esquecer “todos aqueles que já partiram, mas que continuam sempre em espírito entre nós”, afirmou pedindo um minuto de silêncio a todos os presentes.

O Núcleo de Santarém da Liga dos Combatentes foi fundado em 1924, com o nome de Agência da Liga dos Combatentes da Grande Guerra. Com o apoio aos Combatentes do Ultramar e suas famílias, estes factos fizeram com que a 16 de Dezembro de 1975 a Liga passasse a designar-se simplesmente por Liga dos Combatentes, uma vez que as suas acções passaram a estender-se também aos militares que tinham cumprido as suas missões na Guerra do Ultramar.

PUBLICIDADE

Carlos Pombo elogiou o “excepcional contributo” dado “com bastante empenho, abnegação e dedicação à causa do Combatente”, pelas sucessivas Direcções do Núcleo que “sempre primaram pelo rigor, na passagem do testemunho às novas gerações”.

Na sua intervenção, Carlos Pombo não esqueceu os Combatentes presentes na sala: “Olhar para vocês é olhar para um pedaço da nossa honrosa e digna História de Portugal”, asseverou, deixando também uma palavra especial de apreço e homenagem às mulheres que “desempenharam um papel fundamental e essencial no moral dos que combatiam, tendo sido elas, também, umas verdadeiras Combatentes,” sublinhou.

“Em muitos momentos da sua vida sentiram os rostos crispados pela forte dor nas despedidas dos cais, em que à ordem superior os seus filhos, netos, namorados, noivos ou maridos, se dirigiam para as escadas que os levariam a bordo dos navios: Príncipe Perfeito, Uíge, Niassa, Império, Vera Cruz, entre outros navios, de onde acenavam um adeus em resposta aos inúmeros lenços brancos dos seus familiares inconsolados. São das mulheres, também, os rostos de alegria e alívio nos mesmos cais, nos momentos da chegada. São delas, as inúmeras orações e promessas feitas nos mais diversos santuários, igrejas e outros locais de culto. São delas, os rostos carregados de amargura, nas cerimónias de Comemorações do Dia de Portugal, quando lhes era entregue uma condecoração a título póstumo, atribuída àqueles que elas tanto esperavam e nunca chegaram para testemunhar a alegria do reencontro”, recordou.

O presidente do Núcleo de Santarém da Liga dos Combatentes não esqueceu ainda que foram as mulheres que se organizaram e fizeram nascer a Cruzada das Mulheres Portuguesas, “com propósitos, patrióticos e humanitários no apoio aos Soldados e outras vítimas da guerra, durante a I Guerra Mundial”, e as Mulheres do Movimento Nacional Feminino, as Madrinhas de Guerra, as Enfermeiras e as Enfermeiras Para-quedistas da FAP, no apoio aos Militares durante a Guerra das ex-Províncias Ultramarinas.

“É necessário que ninguém se esqueça que durante a I Guerra Mundial e Guerra Colonial se derramou muito sangue de Portugal. E que muitos vieram afectados física e psicologicamente, e trouxeram marcas, mais ou menos intensas, mas, muitas delas, para toda a vida, à semelhança dos nossos actuais Deficientes das Forças Armadas. E que alguns ficaram prematuramente sepultados num chão desconhecido e longínquo,” concluiu Carlos Pombo.

Durante o almoço foram ainda distinguidos com a Medalha Comemorativa das Campanhas das Forças Armadas, o sócio da Liga Bernardino Nalha Sequeira, com a imposição de medalha com a inscrição ‘Angola 1973-75’, comemorativa das campanhas das Forças Armadas, atribuída a Militares e Antigos Militares Combatentes que tenham servido em situação de campanha, e ainda dois Testemunhos de Apreço entregues a Jorge Manuel Belo Rosa, pelos seus 40 anos de sócio da Liga e a Valentim Brites Correia Girão, há 25 anos inscrito naquela instituição.

PUBLICIDADE
Leia também...

Lenda da Sopa da Pedra chega às crianças de todo o mundo através da Expo 2020 Dubai

A lenda da Sopa da Pedra, prato típico de Almeirim, foi incluída…

“Inspiro-me muito nas minhas vivências e nas raízes em Alpiarça“

Joana Almeirante é natural do concelho de Santa Maria da Feira, mas…

VÍDEO | Celestino Graça nasceu há 107 anos!

Cumprem-se neste sábado, dia 9 de Janeiro, cento e sete anos sobre…

Casa de Humberto Delgado em Torres Novas vai ser recuperada

A Casa Memorial Humberto Delgado, no concelho de Torres Novas, vai ser…