A redução acentuada dos testes de despiste do SARS-CoV-2 no mundo está a comprometer a vigilância sobre o coronavírus que causa a covid-19, alertou hoje a Organização Mundial de Saúde (OMS), que apelou aos países para manterem o rastreio.

“Este vírus não vai desaparecer só porque os países pararam de procurá-lo. Ainda está a disseminar-se, ainda está a mudar e ainda está a matar”, salientou o diretor-geral da OMS em conferência de imprensa.

Segundo Tedros Adhanom Ghebreyesus, com a diminuição da testagem a nível global, a organização está a receber menos informação sobre a transmissão e a sequenciação do coronavírus SARS-CoV-2.

Esta situação “deixa-nos cada vez mais cegos relativamente aos padrões de transmissão e de evolução”, sublinhou o responsável da OMS, que apelou aos países para que continuem a monitorizar a evolução da covid-19.

Tedros Adhanom Ghebreyesus adiantou que globalmente o número de casos e de mortes continua a decair, o “que é muito encorajador”, tendo sido reportados na última semana pouco mais de 15 mil óbitos, o total semanal mais baixo desde março de 2020, mas que deve ser visto “com alguma cautela”.

Na conferência de imprensa, Bill Rodriguez, o responsável da Global Alliance for Diagnostics (FIND), uma organização que colabora com a OMS na área do rastreio, também lamentou a decisão tomada por vários governos de “baixar a guarda” face ao SARS-CoV-2.

Nos últimos quatro meses e apesar da maior transmissibilidade da variante Ómicron, as “taxas de rastreio baixaram entre 70% a 90% em todo o mundo”, afirmou Bill Rodriguez.

Leia também...

Músico dos Santos & Pecadores morre vítima de acidente de trabalho em Tremez

Rui Martins, um dos músicos da banda Santos & Pecadores, morreu na…

Médico detido por abuso sexual de menores

Um homem de 27 anos foi detido esta manhã no Bairro de…

Alterações ao Código da Estrada entram em vigor amanhã com multas agravadas

As alterações ao Código da Estrada aprovadas em Novembro entram na sexta-feira,…

PSP apreende mais de 250 de aves na Avisan

Levantados três autos de contra-ordenação.