A secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, destacou hoje o “contributo fundamental” do turismo religioso na diversificação dos mercados emissores, considerando que este sector sairá “muito mais forte” da pandemia.

“Quer os caminhos da fé marianos, quer os caminhos da fé judaicos, quer os caminhos de Santiago, que são importantes subprodutos do turismo religioso, estão vocacionados para mercados de longo curso”, disse Rita Marques, durante a 9.ª edição dos Workshops Internacionais de Turismo Religioso.

A secretária de Estado exemplificou com os turistas oriundos da Ásia, da Coreia do Sul, das Filipinas, do Vietname, dos Estados Unidos, da Colômbia e do México.

“Interessa-nos relevar o contributo que o turismo religioso pode comportar, não só nesta preocupação de garantir o turismo todo o ano e em todo o território, mas também no crescimento em valor”, frisou.

PUBLICIDADE

Na sua opinião, “o sector do turismo religioso aprendeu muito e sairá muito mais forte” da pandemia de covid-19, que “veio aguçar ainda mais o motivo de viagem espiritual”.

Rita Marques lembrou que “Portugal é um roteiro de templos, de cultos, de festas religiosas”, podendo os locais ser percorridos “individualmente, colectivamente, cheios de fé e de uma espiritualidade de raiz mais universal, seja em busca do sagrado”.

“Penso que a pandemia cria uma janela de oportunidade para reforçarmos esta dinâmica”, sublinhou.

A secretária de Estado disse que o turismo religioso responde aos três grandes objectivos estratégicos do Governo: turismo todo o ano, turismo em todo o território e continuar o crescimento em valor.

“Sabemos que quem nos procura para fazer turismo religioso fá-lo durante todo o ano, não necessariamente nas épocas sazonais conhecidas como as épocas altas”, afirmou, acrescentando que o turismo religioso também “percorre vários territórios, elimina fronteiras”.

Segundo Rita Marques, outra vantagem do turismo religioso é que permite um cruzamento com outro tipo de ofertas turísticas, como o património cultural, a natureza e a gastronomia.

Os Workshops Internacionais de Turismo Religioso – que, pela primeira vez, se estão a realizar em formato virtual – são uma iniciativa da Associação Empresarial Ourém-Fátima, com a colaboração dos municípios de Ourém e da Guarda e do Santuário de Fátima. Contam com o apoio do Turismo de Portugal, do Turismo do Centro de Portugal e do Programa Operacional Regional do Centro.

PUBLICIDADE
Leia também...

Primeiro Caminho Português de Santiago certificado é no Alentejo e Ribatejo

O Caminho Português de Santiago Central – Alentejo e Ribatejo (CPSC) é…

Percurso pedestre de 50 km liga Rio Maior a Fátima

O Caminho dos Candeeiros (Caminhos de Fátima), é o primeiro passo de…

Parque de Caravanismo de Santarém já tem fundos comunitários aprovados

O futuro Parque de Caravanismo de Santarém já tem os fundos comunitários…

Rio Maior aposta em baloiço turístico nas Salinas Naturais

A Câmara Municipal de Rio Maior instalou um novo baloiço turístico nas…