A Câmara de Salvaterra de Magos aprovou o orçamento para 2021 no valor de 14,4 milhões de euros, mais 1,8 milhões do que o do presente ano.

O documento foi aprovado pela maioria socialista do executivo, com um voto contra do Bloco de Esquerda, na reunião camarária de quarta-feira, indo agora ser submetido à Assembleia Municipal, na sessão agendada para 17 de Dezembro.

O presidente da Câmara Municipal de Salvaterra de Magos, Hélder Manuel Esménio (PS), afirma, em comunicado, que o orçamento “não aumenta a dívida municipal, reforça o apoio às Juntas de Freguesia, IPSS [Instituições Particulares de Solidariedade Social] e associações, sobe em 15% os gastos com saúde, ambiente e proteção civil, aumenta em 30% os apoios sociais, em 60% a educação e a acção social escolar e, na mesma ordem de grandeza, os investimentos na cultura e desporto”.

PUBLICIDADE

“Em face da situação pandémica que se vive no país, este orçamento para 2021 aumenta a capacidade de intervenção, quer da Proteção Civil, quer da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Salvaterra de Magos, reforçando essas rubricas orçamentais”, afirma.

O autarca refere ainda o apoio à manutenção da redução do valor dos passes em transportes públicos, da aposta nas farmácias aderentes como alternativa aos Postos de Saúde para a vacinação contra a gripe de pessoas com mais de 65 anos, e a criação da possibilidade de ajuda na compra de medicamentos e nas despesas de habitação para as situações de maior vulnerabilidade.

Hélder Esménio sublinha os investimentos na área da educação, com aumento das bolsas de estudo para alunos do ensino superior (mais 25%), no entendimento de que este é “o principal ascensor social de que os jovens dispõem”, e na continuação da reabilitação das escolas do concelho.

A autarquia irá também avançar com a criação do Museu “Lezíria e Charneca” no Edifício do Cais da Vala, em Salvaterra de Magos, e vai procurar financiamento para a construção de vias pedonais no troço da estrada nacional 367, em Marinhais, estimada em 700.000 euros, salienta.

“A rede viária e os arranjos urbanísticos em todas as povoações do concelho vão continuar a ser uma prioridade que, além do impacto positivo na qualidade de vida das populações, é vital para a economia local, uma vez que contribui para a manutenção das empresas e empregos em todos quantos fornecem, prestam serviços ou fazem obras no nosso concelho”, acrescenta.

O vereador do BE Luís Gomes disse à Lusa que o voto contra do partido se deveu à “falta de visão estratégica, capacidade de inovação, adaptação aos novos desafios estruturais” e por não responder “à crise de saúde, social e económica provocada pela pandemia do covid-19”.

O concelho de Salvaterra de Magos tem 22.159 habitantes e quatro freguesias.

O executivo municipal conta com cinco eleitos do PS e dois do BE.

PUBLICIDADE
Leia também...

Salvador, Bebé do Ano em Santarém, recebe cheque-prenda do Correio do Ribatejo/Sonae

Salvador da Silva Carlota foi o primeiro bebé a nascer no dia…

João Manzarra apela à adopção de cães abandonados em Santarém

João Manzarra, conhecido apresentador de televisão, esteve esta sexta-feira, 15 de Novembro,…

Jogador do Alverca em estado grave no hospital após paragem cardiorrespiratória

O futebolista brasileiro Alex Apolinário, do Alverca, encontra-se em estado grave e…

Distrito de Santarém apenas com um concelho em Risco Muito Elevado

O Governo reviu ontem a listagem dos concelhos de risco e o…