Na primeira edição deste laboratório teatral, a realizar anualmente, o TSB juntou criadores e intérpretes da região de Santarém, entre profissionais, estudantes e amadores, para trabalharem intensivamente, durante seis semanas, a partir de duas obras fundamentais do teatro moderno, em busca de um diálogo com a realidade social e cultural contemporânea.

Com direção de Jorge Louraço Figueira, o resultado desta pesquisa foi uma parábola sobre a guerra e a paz, tanto à escala mundial quando à escala doméstica, intitulado Correr para ficar quieto. O espetáculo é apresentado no Convento de São Francisco, no âmbito das comemorações do 25 de Abril, e seguirá viagem por todo o concelho.

Em complemento, em maio, o TSB acolhe os participantes da oficina de escrita para cena do Teatro Nacional de São João, que finalizarão os seus textos ao longo de uma semana de residência em Santarém; e faz o lançamento do projeto LIVROs, antologia de cenas escritas a partir da Bíblia, do coletivo de dramaturgos e dramaturgias AMANDA.

~ estreia ~

CORRER PARA FICAR QUIETO [TSB]

22 Abril, 21h30

Convento de São Francisco

~ residência de criação artística ~

Oficina de escrita para cena MANUAL DE AUTODEFESA PARA DRAMATURGOS VIVOS [TNSJ]

23-27 Maio

Teatro Sá da Bandeira

~ leitura de textos e lançamento de livro ~

LIVROs [AMANDA]

25 Maio, 17h

Teatro Sá da Bandeira

~ estreia ~

CORRER PARA FICAR QUIETO

Criação a partir das peças “Woyzeck”, de Büchner, e “Três Irmãs”, de Tchekhov

Nesta primeira edição do Laboratório de Interpretação, Dramaturgia e Encenação do Teatro Sá da Bandeira, realizado no Convento de São Francisco, com atores naturais de ou residentes no concelho de Santarém, debruçámo-nos sobre duas obras fundamentais da dramaturgia moderna para explorar a história recente e o imaginário criado em torno da presença militar. 

DRAMATURGIA Jorge Louraço Figueira e Diogo S. Figueira

ENCENAÇÃO Jorge Louraço Figueira

ASSISTÊNCIA DE ENCENAÇÃO E DIREÇÃO DE MOVIMENTO Leonardo Shamah

COMPOSIÇÃO E INTERPRETAÇÃO MUSICAL Rui Lopes

INTERPRETAÇÃO Afonso Silva, Bianca Talhão, Carla Reis, Constança Frade,

Diana Narciso, Gabriel Silva, Inês Paulino, Joana Santos,

Luís Coelho Graça, Luís Mouzinho, Madalena Custódio, Margarida Ferreira,

Rui Felix, Rui Silva

ESPAÇO CÉNICO Jorge Louraço Figueira e Tiago Fernandes

GUARDA-ROUPA Carla Reis e Leonardo Shamah

DESENHO DE LUZ Bruno Santos e Jorge Louraço Figueira

AGRADECIMENTOS António Júlio, Hipólito Silva, João Luiz Madeira Lopes,

Margarida Gabriel, Miguel Louraço Oliveira, Teatro de Marionetas do Porto,

VETO Teatro Oficina

~ residência de criação artística ~

MANUAL DE AUTODEFESA PARA DRAMATURGOS VIVOS

Oficina de escrita para cena Teatro Nacional de São João

Janeiro-Julho 2022

As notícias da escassez ou da inexistência de dramaturgos vivos e portugueses são manifestamente exageradas. Este Manual de Autodefesa não é um exercício de resgate de uma espécie em vias de extinção, mas um ato de fé na possibilidade da sua reprodução assistida. Durante sete meses de trabalho intenso, o professor e dramaturgo Jorge Louraço Figueira orienta os participantes no sentido de atingir a finalidade última de qualquer oficina – figurativamente, “o lugar onde se opera uma transformação notável”. Um espaço de transmutação de ideias em textos, onde cada autor escreve a sua peça num diálogo permanente com o orientador e no confronto com os outros autores. Dirigida em particular a ex-alunos do curso de pós-graduação em Dramaturgia e Argumento da ESMAE – proporcionando-lhes uma outra etapa de formação em ato –, esta oficina abre-se também a dramaturgos com obra publicada ou estreada. Manual de Autodefesa para Dramaturgos Vivos não é uma operação-relâmpago. Oferece um tempo longo de maturação do processo criativo, articulando o debate coletivo da produção individual e a condição solitária do exercício de escrita.

~ leitura de textos e lançamento de livro ~

LIVROs [AMANDA]

25 Maio, 17h

Teatro Sá da Bandeira

O projecto LIVROs, desenvolvido pelo colectivo Amanda — que se dedica a investigar as potencialidades da criação literária, teatral, performativa e audiovisual em língua portuguesa —, é uma colecção de peças inéditas inspiradas em episódios bíblicos, a partir das quais são feitas leituras encenadas, edições e um espectáculo. Os textos do projecto são criados no âmbito de residências de escrita e experimentação em que os autores partilham ideias e métodos.

Partindo de episódios bíblicos, LIVROs propõe-se investigar cénica e literariamente aquilo que a Bíblia ainda pode significar nos nossos dias. Jorge Louraço relaciona factos históricos com acontecimentos bíblicos. Jorge Palinhos pega nos episódios em que Deus massacra as suas criaturas para meditar sobre o valor da vida humana em tempos de sobrepopulação do planeta. Marta Freitas escreve a partir do episódio da ressurreição, para explorar as possibilidades de regeneração do planeta na forma da própria ressurreição divina.

O projecto LIVROs XXI tem o apoio de República Portuguesa – Cultura | DGArtes – Direcção Geral das Artes.

Leia também...

Músico dos Santos & Pecadores morre vítima de acidente de trabalho em Tremez

Rui Martins, um dos músicos da banda Santos & Pecadores, morreu na…

Alterações ao Código da Estrada entram em vigor amanhã com multas agravadas

As alterações ao Código da Estrada aprovadas em Novembro entram na sexta-feira,…

PSP apreende mais de 250 de aves na Avisan

Levantados três autos de contra-ordenação.

Homem morre esmagado em acidente de trabalho em Alpiarça

Um homem morreu num acidente de trabalho, esmagado por uma máquina de…