“São 17 anos a viver de mãos dadas com a cidade e a região. É essa a nossa forma de estar”

O W Shopping assinalou, na passada quarta-feira, 28 de Outubro, 17 anos de existência na Cidade de Santarém. Este ano, de forma mais discreta, devido à pandemia e à necessidade de cumprir com as regras sanitárias emanadas da Direcção Geral de Saúde. Ao ‘Correio do Ribatejo’, Rui Rosa, director do W Shopping, aborda o impacto da pandemia nos resultados previstos para este ano, e refere-se aos novos projectos em curso que permitirão ao W continuar “de mãos dadas com a cidade e a região”.

Pela primeira vez, em 17 anos, o aniversário do W Shopping foi assinalado na passada quarta-feira da forma mais segura para os seus visitantes”. A crise sanitária que atravessamos e o cumprimento escrupuloso das normas de segurança em vigor naquele espaço comercial a isso o obrigaram.

Ao ‘Correio do Ribatejo’, Rui Rosa, director do W Shopping, admitiu que “não faria sentido” recrear o clima de festa de anos anteriores, mas a efeméride não foi esquecida e a mensagem, apesar da pandemia, renova-se de ano para ano: “Vamos dizer, uma vez mais, à população que estamos perto deles e dos nossos lojistas. Vamos ter Pedro Santos Rosa, com o seu saxofone. Ao invés do habitual “corte do bolo de aniversário”, vamos fazer a distribuição de uma pequena caixinha com um mini pampilho, a quem nos visita e aos nossos lojistas, forma encontrada para partilhar este momento com todos”, informou.

PUBLICIDADE

O ano 2020 começou de forma atípica, com uma pandemia que veio deitar por terra as expectativas iniciais que eram de manter o crescimento verificado nos anos anteriores: “antes da pandemia, os meses de Janeiro e Fevereiro registavam um crescimento sustentado, alinhado com o ano de 2019, o que fazia crer que, de facto, o ano de 2020 iria ser de muito sucesso. Felizmente os números do W têm crescido anualmente. A pandemia obrigou a fechar, nos meses de Abril e Maio, muitas lojas mas conseguimos manter a óptica, a tabacaria, e a distribuição alimentar que se mantiveram sempre em funcionamento”, esclarece o director do W.

Com todas as lojas a fechar entre 19 e 20 de Março, foi com alguma expectativa que se assistiu à sua reabertura em Junho: “A afluência tem vindo a crescer, as vendas também. Comparativamente a outros projectos, com resultados muito interessantes. Não registámos com a reabertura nenhum abandono de insígnias. Naturalmente que ao fim de 10 meses de balanço nota-se uma quebra de vendas, variável consoante a área de negócio”, reconhece Rui Rosa, para quem a quebra de tráfego não estabelece uma analogia directa com as vendas: “isto é, neste momento há um tráfego mais reduzido de clientes, mas as vendas não acompanham essa tendência. Há uma taxa de conversão muito superior. As pessoas deixam de vir para passear e quando vêm é para fazer compras. Inclusive temos sectores a registar valores equivalentes ao ano passado, justamente pela necessidade. É natural que com o centro encerrado por algum tempo as pessoas precisem de calçado, roupa, entre outros bens e serviços”, admite.

W Shopping decorado mas com dinâmica de Natal diferente

A manter-se a tendência verificada nos últimos meses, os resultados atingidos não ditarão a curva de crescimento que tem sido habitual nos últimos anos. Contudo, o W Shopping não esquecerá a quadra que atravessamos e manterá a decoração de Natal, tão apreciada pelo público, como habitualmente acontece.

“Logo no início de Novembro vamos manter a árvore de Natal na ‘Calçada 66’. Em relação a espectáculos no W iremos evitar o contacto físico e optar pelo digital. Os espectáculos que iremos fazer vamos procurar usar as plataformas como o Facebook ou o Instagram”, informa o director.

“Este ano a “chegada do Pai Natal” ao W Shopping, será feita de uma forma diferente e que vai com toda a certeza surpreender todos os que nos visitam, evitando-se a aglomeração de público, não deixando porém de o presentear com iniciativas dando especial atenção às crianças que vivem esta época com tanta alegria. Teremos uma série de acções que vão permitir a todos partilhar a alegria desta época, com toda a segurança”, acrescenta.

Palavra chave: confiança

Rui Rosa está há cerca de 20 anos na gestão de Grandes Superfícies Comerciais. Casado e pai de três filhos, ingressou no mundo do trabalho na direcção administrativa de uma indústria metalomecânica. Foi, depois, convidado a integrar a administração do Campera Outlet Shopping, cargo que desempenhou durante uma década. Dessa altura ficou o gosto pelos centros comerciais: foi um crescendo de trabalho e de empenho que o trouxe até Santarém para a direcção do W Shopping.

Com um dia de trabalho que começa cerca das 6h30, Rui Rosa confessa que é incapaz de desligar o telemóvel: “há que manter toda uma retaguarda de apoio técnico, o que requer uma atenção diária permanente ao projecto”, afirma.

E porque ao longo da vida se inspira na máxima de Baden Powell, fundador do escutismo – “Procurai deixar o mundo um pouco melhor do que o encontraste” – Rui Rosa sabe que o caminho é em frente e as palavras trabalho e confiança fazem parte do seu vocabulário de todos os dias:

“Temos uma expectativa positiva para este final de ano, época fundamental na vida dos shoppings. Iniciámos hoje [segunda-feira, 26 de Outubro] uma forte campanha nas rádios, em conjunto com outros centros a nível nacional, que incentiva as pessoas a fazer as suas compras com tempo. A antecipá-las até. Estamos a trabalhar no sentido de os lojistas permitirem que as compras feitas em Novembro possam ser trocadas, se houver essa necessidade, em Janeiro. Por outro lado estamos preparados para, caso surjam regras mais rigorosas como o recolher obrigatório, nos ajustarmos. Neste momento já estamos com alguma flexibilidade de horários, com as Lojas a abrirem às 10h00 e a encerrar às 22h00, porém com algumas delas a encerrar às 20h00. De alguma forma já nos ajustámos à nova realidade”, salienta Rui Rosa.

“Neste período já renovámos alguns contractos e estamos a discutir propostas que podem determinar a abertura de novas lojas ainda este ano. No meio das pedras vemos oportunidades, o mundo não parou, há insígnias a investir, há negócios a acontecer,” refere.

Apesar de todos os constrangimentos que esta crise sanitária global veio trazer, Rui Rosa não abdica das parcerias traçadas com instituições culturais e desportivas da cidade que o W Shopping mantém e tem vindo a renovar, casos do Círculo Cultural Scalabitano, Rugby Clube de Santarém, Vitória Clube de Santarém, entre outros, num conceito de “proximidade e ajuda” que o director quer manter com a cidade.

“Responsabilidade social” que o W mantém, mesmo em pandemia, ao apoiar, ao longo dos últimos meses, várias iniciativas.

“Acho que se antes já era uma dinâmica que fazia sentido, nos tempos que correm faz todo o sentido manter. Essas instituições também foram muito afectadas pela pandemia, deixaram de ter espectáculos, deixaram de ter público”, salienta Rui Rosa.

Em jeito de balanço, confrontado com a análise do que foram estes 17 anos de presença do W Shopping em Santarém, Rui Rosa sublinhou ao ‘Correio do Ribatejo’ a “plena integração” do W na Cidade.

“Foram anos de consolidação. Somos mais uma parte da cidade. São mais três ruas de comércio, com grandes marcas, dinâmicas culturais, de associativismo, de ligação ao desporto e solidariedade. Com um convívio que se quer são, e é assim que faz sentido. 17 anos de W Shopping, 17 anos de sucesso, integração, parcerias, de viver de mãos dadas com a cidade e a região. É essa a nossa forma de estar”, conclui.

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS