“Recomeçar é sempre muito mais difícil do que continuar”

Miguel Dias é presidente da secção de Ténis da Associação 20 Quilómetros de Almeirim desde Novembro de 2018. O clube conta 80 pessoas, entre atletas federados, Escolas de Ténis de Almeirim e Alpiarça e Staff. Em entrevista ao Correio do Ribatejo, o dirigente faz um balanço da temporada até ao momento, perspectiva com ânimo o futuro depois da paragem forçada e destaca os grandes objectivos do clube para os próximos anos.

Qual é o balanço que faz desta temporada?
Até ao início da pandemia estava a ser um excelente início de ano. Tivemos mais atletas a começar a jogar, as três equipas que estão a disputar os Campeonatos Regionais estão com possibilidade de alcançar bons resultados, estamos inclusivamente já numa final, portanto com lugar garantido no Campeonato Nacional, organizámos um grande Campeonato Regional de Veteranos com a Associação de Ténis de Leiria e estávamos perto de começar a requalificar os nossos campos, com o apoio da Câmara Municipal de Almeirim, mas agora, tudo isto está parado, e recomeçar é sempre muito mais difícil do que continuar.  

Formar é a palavra de ordem do clube?
É a nossa maior característica e a prova disso não são apenas os resultados ou os lugares que os atletas vão alcançando nos rankings nacionais, mas também termos cada vez mais jogadores a procurarem o nosso clube para se desenvolverem, procurando Almeirim ou para treinarem a tempo inteiro ou para complementarem o regime de alta competição em que estão integrados. É o maior elogio que os nossos técnicos podem receber.  

PUBLICIDADE

Nos últimos anos o escalão de veteranos tem dado muitos títulos ao clube, inclusivamente subidas de divisão? Como é que se chega a este patamar?
O nosso director técnico é jogador do escalão de veteranos, daí a aposta em tornar esta equipa um exemplo para todos no clube. Nos +35 terminamos na 1ª divisão nacional, foi a primeira vez na história do clube e agora temos que fazer o mesmo caminho nos +45 onde começamos o ano passado. Temos um excelente grupo de atletas, que são exemplos dentro e fora dos courts, que devem ser seguidos pelos mais jovens  

Quais são os objectivos do clube?
A prioridade máxima é renovar as infra-estruturas: os campos de Almeirim e também de Alpiarça e depois continuar a lutar para termos uma sede junto aos campos. Só isso nos vai permitir dar o salto que o clube já vai pedindo há uns anos.  

Que impacto teve esta paragem para o clube?
Queremos crer que o Verão vai ajudar a compensar esta paragem. O ténis no inverno passa sempre algumas dificuldades por causa do tempo e acreditamos que no verão, caso as condições sanitárias o permitam, possamos recuperar o tempo perdido.  

Houve competições paradas ou suspensas?
O ténis está parado desde Março. Em Almeirim, já tivemos que cancelar dois torneios oficiais, mas a prioridade é claramente a saúde e esse factor estará sempre acima de qualquer questão. 

Qual é a perceptiva de futuro depois desta pandemia?
Já nos disponibilizamos junto dos nossos parceiros, a Câmara de Almeirim e a Câmara de Alpiarça, a trabalhar num plano de regresso. O maior receio é que os projectos que estavam já em bom andamento agora sofram atrasos. As condições de que dispomos já são limitadas e um novo atraso prejudicar ainda mais os atletas. O desporto, como outros sectores, não pode ficar para trás nos apoios do Estado e das autarquias.  

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS