Vulture: Um projecto documental e autobiográfico com dez anos de história

Os Vulture foram a banda convidada para abrir o concerto dos Moonspell, no sábado, 3 de Agosto. A banda escalabitana reuniu-se em 2007 e tem como protagonistas Gerald no baixo, Casaca na guitarra, Leo na voz e Duarte na bateria. Lançaram, em Março, ´Now I know´, a primeira de seis músicas com vídeo e contam lançar as restantes até ao final do ano. A banda tem ainda vários projectos com criativos da região com querem trabalhar para apresentar algo verdadeiro e feito no Ribatejo.

Como se formaram os Vulture?
Foi um começo de banda como tantos outros, tínhamos alguns gostos em comum e um estilo de vida parecido, começar uma banda foi algo natural.

Como definem o vosso projecto musical?
Riffs pesados e muita dissonância. Uma mistura de tópicos desconfortáveis a meio gás para encaixar na velocidade cruzeiro do sítio onde vivemos. Sempre cheio de contradições e sarcasmo negativo, tornou-se num projecto documental e autobiográfico que já conta com 10 anos de história.

Que tentam transmitir ao público que assiste aos vossos espectáculos?
Nada! É uma questão de partilha e não de transmitir uma mensagem ou ideologia, não somos exemplo para ninguém. Partilhamos a nossa música num momento e quando alguém gosta do que está a ver e ouvir passa a ter algo em comum connosco.

O público de Santarém está desperto para o fenómeno do Heavy Metal?
Não sabemos muito bem o que é o público de Santarém, nem sabíamos que o heavy metal era um fenómeno, sabemos sim que os nossos, os que partilham estes momentos connosco e nos acompanham são do caraças.

Antecederam os Moonspell no dia 3 de Agosto. Este concerto é a concretização de um sonho?
Sonho é demasiado poético e sonhar não está na nossa lista de prioridades. É uma honra/responsabilidade enorme tocar no mesmo palco de uma das nossas bandas preferidas e acima de tudo no 20º aniversário do Festival Rock da Velha que é tão especial para nós e que frequentamos/participamos assiduamente desde a primeira edição, talvez em 1998, mais ano menos ano.

Gostariam de um dia ser reconhecidos tal como são os Moonspell?
Ser reconhecidos também não está na lista das prioridades. Os Moonspell são a maior banda nacional e a mais internacional que temos, têm mais de 100 concertos por ano em todo o mundo para milhares de pessoas, vendem milhares de discos e afins, o reconhecimento é um resultado da música que fazem/fizeram e de um percurso de anos a correr o mundo, os Vulture ainda estão na parte da música e da consolidação de conceito.

Recentemente concretizou-se um festival de Heavy Metal na Ribeira de Santarém. Pensam que deveria haver mais apostas neste tipo de festivais na cidade?
Era fixe um mega festival quando a praça de touros passar a ser um espaço multiusos em vez daquela palermice.

Onde é que o público pode encontrar o vosso trabalho?
A partir de www.vulture.pt há links para todas as nossas plataformas sociais e de streaming. Para o pessoal mais cansado ou com menos aptidão para pesquisas podem só escrever no youtube ou no google a frase chave da nossa mensagem: Vulture Doomed to Fail.

Consideram essencial estar presentes nas redes sociais como forma de divulgar o vosso projecto?
Sim, mas usamos as redes sociais de um modo muito moderado, não queremos fazer parte de uma corrida ao pódio, queremos só escrever e deixar a nossa obra… Sem prémios e sem recompensas. Para nós é mais importante o conteúdo do que a embalagem.

Com quem gostariam de um dia partilhar o palco?
Com tantas bandas quanto possível, mas Moonspell – checked.

Que projectos pretendem desenvolver no futuro?
Lançámos em Março ´Now I know´, a primeira de seis músicas com video que contamos ir partilhando até ao próximo ano. Estamos a colaborar com artistas ribatejanos de diversas áreas, artistas urbanos, actores, artesãos, designers, tatuadores, entre outros criativos e vamos continuar a fazê-lo caminhando lado a lado com todos e desenvolvendo parcerias para poder apresentar sempre algo verdadeiro e feito no Ribatejo. Fazemos sempre questão de trabalhar com artistas da nossa terra. Tanto na produção de um espectáculo ao vivo como na produção dos nossos conteúdos. A curto prazo vamos estrear uma linha nova de merchandise feita à mão em parceria com um mega criativo cá da zona e vamos também lançar um videoclip novo, entre outras coisas que irão aparecer nas nossas plataformas online.

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS

Deixar uma resposta