Luís Filipe Santos é o novo presidente da Casa do Benfica de Santarém, instituição que assume, como objectivos principais a manutenção e o apoio às modalidades amadoras existentes, como o judo, o tiro e a ginástica, a angariação de novos sócios e de novas fontes de financiamento, e ainda o “grande desafio” de concretização do projecto da nova Casa do Benfica 2.0 de Santarém, no Jardim da Liberdade.
Sobre este assunto, o dirigente revela que as obras poderão iniciar antes do final do ano de 2021, sendo que o desejo da associação é que a inauguração aconteça no princípio de 2022, por altura do aniversário da Casa do Benfica de Santarém.
O novo corpo gerente da Casa do Benfica de Santarém é constituído por uma equipa renovada, liderada por Luís Filipe da Conceição Santos como Presidente da Direcção, e acompanhado por Hélder Domingos, Miguel Duarte, Nuno Russo, Pedro Gouveia, Pedro Laranjeira e Jorge Vítor como Vice-Presidentes.
Como Presidente da Assembleia Geral mantém-se João Veloso, secundado por Álvaro Gaivoto, Ricardo Araújo e João Batista, tal como no acontece no Conselho Fiscal com António Valente, apoiado por Tiago Simões e Augusto Gonçalves.

Foi eleito recentemente presidente da Casa do Benfica de Santarém. O que o levou a candidatar-se à presidência?
Um convite e o desafio. Um convite, por um elemento que continua a pertencer aos nossos órgãos sociais e que me disse: “Luís Filipe és tu que vais rejuvenescer esta casa és um grande benfiquista. Esse amor vai fazer-te levar a Casa do Benfica de Santarém ainda mais além”. Na altura pensei que ele não estaria a ver a coisa, mas depois fui amadurecendo a ideia e fui falando com amigos que achei que poderiam ser uma mais-valia para a Casa do Benfica de Santarém, Benfiquistas e outros que não o sendo, sentem a Casa do Benfica de Santarém como ninguém e que querem que esta associação seja grande principalmente na formação de modalidades que já criaram grandes campeões. Porque fui criado a ver a Casa do Benfica de Santarém onde jovens se formaram como homens e mulheres e onde as actividades que praticaram os ajudam agora no seu dia-a-dia, é este o grande desafio poder contribuir para que os jovens de agora possam dizer daqui a uns anos orgulhosamente pratiquei esta modalidade na Casa do Benfica de Santarém que me fez ser melhor pessoa e me ajudou no meu futuro.

Quais são os principais objectivos que quer cumprir durante o seu mandato?
Um dos grandes objectivos passa por criar todas as condições para a manutenção das actividades desportivas existentes na Casa do Benfica de Santarém, com o necessário apoio técnico, financeiro e logístico, para a representação desta Casa e a participação nas respectivas épocas desportivas.
Logo à partida, o Judo que recordo que tem um grande historial nesta Associação, com grandes mestres e judocas, e com grandes feitos, e que traz muitas e boas memórias de ex-jovens escalabitanos, agora adultos, que certamente passaram por esta Casa do Benfica e a têm no coração.
Depois o Tiro, que com todo o seu palmarés, tem conseguido ter o seu reconhecimento e notoriedade dentro da modalidade, através do trabalho e do resultado dos seus atletas.
E por fim, a ginástica vamos tentar voltar a ter ginástica de competição, neste momento é de manutenção que ajuda as pessoas a chegar ao final do dia de trabalho e além de praticar uma actividade se divertem.
Outro objectivo é conseguir proceder à captação de sócios para a Casa do Benfica de Santarém, quer pela recuperação dos que já foram e por alguma razão deixaram de ser, como de novos sócios, que porventura são sócios do Sport Lisboa e Benfica e que ainda não são sócios da Casa do Benfica de Santarém.

Qual é a realidade actual da Casa do Benfica de Santarém?
A Casa do Benfica de Santarém foi criada em 6 de Fevereiro de 1961, pelo que faz 60 anos neste ano de 2021, sendo a Casa do Benfica nº 4. Temos 320 sócios pagantes entre praticantes, e não praticantes, não temos qualquer dividas a terceiros, não fizemos grandes investimentos, mas também não cometemos loucuras que nos poderiam ter afundado neste tempo difícil de pandemia, nisso tenho de enaltecer a antiga direcção dirigida pelo Sr. Álvaro Gaivoto que esteve à sua frente durante 41 anos.

PUBLICIDADE

Acompanham-no na direcção uma equipa totalmente renovada. Isto quer dizer que era necessário dar uma nova vida à Casa do Benfica?
O propósito dos novos órgãos sociais da Casa do Benfica de Santarém, e em particular da sua Direcção, é o de passar a mensagem de que a Casa do Benfica de Santarém está viva e de boa saúde, e que se pretende cumprir com o objectivo, definido nos seus Estatutos, de promover as relações de convívio social, como as de cariz cultural, desportivo e recreativo dos seus atletas e associados, mas também contribuir para as boas relações com outros clubes desportivos locais e demais entidades.
E para que isso possa ser concretizado iremos demostrar a nossa disponibilidade, vontade e empenho de todos em revitalizar esta Casa, dando-lhe um novo rumo, com aposta na modernidade e com os olhos postos no futuro.

A Casa do Benfica tem neste momento em actividade as modalidades de judo, tiro e ginástica. Como associação desportiva pretendem crescer em número de modalidades e praticantes?
Sim, pretende-se avaliar a possibilidade de criar outras modalidades desportivas na Casa do Benfica de Santarém, que possam ser diferenciadores ou representativas da vontade da direcção e dos associados, ou que correspondam ao anseio dos jovens desportistas da cidade de Santarém.
Mas como já referi, em primeiro lugar, pretendemos garantir a manutenção e o desenvolvimento das actividades desportivas das modalidades já actualmente existentes na nossa Casa.

Qual foi o impacto da pandemia no número de sócios e de praticantes da modalidade?
Neste momento, e no caso dos sócios, ainda não conseguimos avaliar o impacto da pandemia, eventualmente poderão ter existido alguns atrasos no pagamento das quotas de sócio, mas iremos proceder, logo que seja possível, à actualização da numeração dos sócios, conforme previsto nos Estatutos, por forma a regularizar a situação de todos os associados, tanto mais que também temos recebido propostas para a admissão de novos sócios à Casa do Benfica.
O impacto sobre os praticantes das modalidades foi significativo, em resultado das restrições relativas à actividade física e desportiva, e ainda à suspensão do desporto federado e das respectivas competições desportivas, pois os nossos atletas deixaram de treinar e de competir, e até poderão ter abandonado a actividade desportiva e consequentemente a nossa Casa.
Contudo, é nossa intenção, elaborar um plano de retoma de actividades desportivas, de acordo com as orientações específicas da DGS, que permitam um regresso dos nossos atletas aos treinos e competição em segurança, especialmente no que toca à preparação do arranque da próxima temporada desportiva.

Santarém tem muitos sócios e adeptos do SL Benfica. Quer levar esses sócios e adeptos a uma presença mais frequente na Casa do Benfica de Santarém?
A Casa do Benfica de Santarém tem de ser um polo aglutinador de todos os sócios e simpatizantes do SLB na cidade e na região, e para que assim seja é necessário ter condições para os podermos receber a todos sem excepção, e por isso é que são tão importantes a construção e o funcionamento da Casa do Benfica 2.0 em Santarém.
Gostaríamos que grande parte dos sócios do SLB em Santarém fossem também sócios da Casa do Benfica de Santarém, que nos pudessem ajudar no apoio às nossas modalidades desportivas e aos nossos atletas amadores, quer a nível financeiro como patrocínios ou outros apoios, como ainda a nível desportivo com o envolvimento e a participação de novos jovens atletas, contribuindo assim para o futuro desta nossa Casa.

A nova Casa do Benfica 2.0 já foi anunciada há cerca de dois anos. Como está este processo?
Reunimos muito recentemente com o director de Casas do Benfica, que nos transmitiu que o projecto Casa do Benfica 2.0 em Santarém será uma realidade, e que nos assegurou que as obras poderão iniciar antes do final do ano de 2021, e o nosso desejo seria que a inauguração fosse no princípio de 2022, de preferência por altura do aniversário da Casa do Benfica de Santarém. Pretendemos também reunir com o executivo da Câmara Municipal de Santarém para apresentar cumprimentos, mas essencialmente para ter a certeza que não existe nenhum impedimento ou obstáculo à concretização deste projecto inovador para a cidade e para os benfiquistas.
Com esta nova Casa, espera-se contribuir para a economia local, através da criação de emprego, e mais riqueza na cidade, nunca esquecendo que somos uma Associação cultural, desportiva e recreativa.

Uma nova sede é essencial para o futuro da Casa do Benfica?
A nova sede da Casa do Benfica de Santarém é fundamental para o futuro desta Associação, tanto a curto prazo, como a médio e longo prazos.
Este é um enorme e inovador desafio, tanto mais que se trata de um projecto piloto que se vai instalar em Santarém, mas que irá alterar o paradigma das actuais Casas do Benfica existentes no resto do país.
Pretende o SLB, e pretendemos nós também, transformar e modernizar a Casa do Benfica de Santarém, para uma nova perspectiva de funcionamento diário, conjugando num só local, um espaço de convívio e restauração com um parceiro estratégico, um espaço de formação e tempos livres com uma academia, espaço para a actividade desportiva com campo de jogos coberto, espaço para uma loja do Benfica com jogos Santa Casa, e ainda um espaço para a direcção e seus associados, por forma a oferecer muito mais do que a Casa oferecia.

Qual é a sua opinião em relação aos recentes casos judiciais que tem afectado o clube?
Sobre esse assunto, vou ser politicamente correcto: à justiça o que é da justiça, e aguardar pelo desenlace, esperando que possa ser o mais célere possível.
Contudo, e embora a Casa do Benfica de Santarém tenha sido criada sob a égide do Sport Lisboa e Benfica, temos estatutos próprios e mantemos os nossos objectivos de promover a defesa do bom nome, prestígio e interesse do clube e de fomentar localmente o benfiquismo. Como disse um membro desta direcção passo a citar, aquele que será o nosso lema “O Benfica será sempre a nossa marca…a casa do Benfica de Santarém será a nossa história”.
Queria acrescentar ainda que este processo em nada belisca a nova Casa do Benfica em Santarém.

Que mensagem gostaria de deixar aos sócios e demais frequentadores da Casa do Benfica de Santarém?
Gostaria de transmitir a todos os benfiquistas que pretendemos reforçar os laços existentes com os actuais associados da Casa do Benfica de Santarém, mas simultaneamente queremos criar novos laços com aqueles que ainda não são nossos sócios, com as medidas que iremos levar a cabo para revitalizar esta Casa, que irão coloca-la de novo no lugar que ela merece e que merecem todos os escalabitanos benfiquistas.

PUBLICIDADE
Leia também...

“No Reino Unido consegui em três anos o que não consegui em Portugal em 20”

João Hipólito é enfermeiro há quase três décadas, duas delas foram passadas…

“Só o comportamento responsável de cada um pode ajudar a resolver a pandemia”

João Amado é comandante distrital de Santarém da PSP há quatro anos.…

“Não posso concordar com o folclore mediático feito à volta das primeiras administrações das vacinas”

António Pinto Correia, presidente da Mesa da Assembleia Sub-Regional da Ordem dos…

“Os enfermeiros nunca são só enfermeiros”

A melhor aluna do Instituto Politécnico de Santarém no ano lectivo 2019/2020…