Águas do Ribatejo comemora Dia Nacional da Água com acções de sensibilização

O Dia Nacional da Água comemora-se a 1 de Outubro e a Águas do Ribatejo (AR) antecipou as comemorações com acções de sensibilização e apelos ao bom tratamento da água porque “é um bem precioso e finito”. Durante o fim-de-semana, 28 e 29 de Setembro, a empresa promoveu actividades de sensibilização para o uso eficiente da água.

No sábado, 28 de Setembro, a AR e a DECO estiveram na comemoração do Dia do Coração, em Samora Correia, a convite da Associação de Jovens da cidade. O objectivo foi alertar para os riscos de continuarmos a desperdiçar a água e valorizar este líquido essencial para o bom funcionamento do coração e de outros órgãos fundamentais.

A sensibilização foi feita em ambiente divertido com música, dança, ginástica, insufláveis, pinturas faciais, jogos tradicionais e rastreios de saúde e nutrição. A Praça da República acolheu pessoas de três gerações mas foram os mais pequenos que revelaram estar melhor preparados para os desafios de tratar bem a água.

“A água é muito boa para nós porque faz bem à saúde”, refere Irina Moreira, 5 anos enquanto bebe um copo de água da rede pública. “Está fresquinha”, acrescenta com um ar de satisfação. A mãe de Irina explica que no Jardim de Infância há uma preocupação permanente com uma dieta saudável onde a água é fundamental.

Tiago Alves, aluno do sexto ano, tem a lição bem estudada e explica que em casa o pai gasta muita água porque toma banho com a banheira cheia.

“A mãe diz para tomar duche, mas ele só gosta da banheira. Assim gasta muita água e um dia vai-se queixar”, adianta o jovem que exibe uma camisola do seu ídolo Cristiano Ronaldo. Rita Mendes, médica pediatra, a acompanhar os filhos no Dia do Coração, explica que o melhor jogador do mundo bebe mais de dois litros de água por dia e esta é também a chave da sua invulgar forma física.

“Os pais estão mais sensibilizados para a importância da água e as escolas estão a fazer um bom trabalho nesta sensibilização, substituindo os refrigerantes por água”, reconhece a clínica.

A AR ofereceu uma garrafa de metal reutilizável para que as crianças se habituem a levar água consigo para a escola e actividades de lazer e desporto.

“Temos de beber muita água porque senão morremos. Uma vez tive tanta sede que quase desmaiava”, refere Rafaela, aluna do quarto ano do primeiro ciclo, contemplada com uma das ofertas da AR/DECO.

Nas actividades do Dia do Coração, a água integrou a roda de alimentos disponibilizados onde só entrou comida e bebida saudável.

E para os que não dispensam um bom bife de vaca, a DECO alerta que para produzir um quilo de carne de bovino são precisos 15.400 litros de água e por cada quilo de arroz produzido gasta-se 2.500 litros de água. Um quilo de pão precisa de 1.600 litros de água. Números que nos deixam a pensar.

É urgente alterar os hábitos de consumo e o relacionamento com a água e como disse o João Miguel, de 9 anos: “É proibido estragar a água”.

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS