Autarca de Constância considera “insuficiente” reforço de pilares da ponte sobre o Tejo

O presidente da Câmara de Constância disse ser “insuficiente” o investimento de 2,8 milhões de euros (ME) no reforço dos pilares da Ponte da Praia anunciado pela Infraestruturas de Portugal (IP).

“Este investimento não é suficiente porque o que é necessário é uma nova travessia nesta zona, que resolva de vez os problemas de circulação a estas populações, aos militares que desenvolvem de forma muito activa a sua actividade nesta região, e acabe com os constrangimentos que aqui se verificam ao desenvolvimento da economia local, regional e nacional”, disse Sérgio Oliveira à Lusa.

A IP anunciou o arranque de uma intervenção e investimento de 2,8 ME no reforço dos pilares da ponte rodoferroviária da Praia, uma empreitada que vai durar um ano e que visa a “melhoria das condições de circulação” na Linha da Beira Baixa.

Aquela travessia sobre o Tejo serve os concelhos de Vila Nova da Barquinha e Constância, ligando as estradas nacionais EN3 e EN118, unindo Praia do Ribatejo à freguesia de Santa Margarida da Coutada.

“Com um investimento associado de 2,8 milhões de euros, esta obra tem como principal objectivo o reforço das condições de estabilidade estrutural da ponte e a reabilitação ao nível das fundações”, pode ler-se na informação da IP.

Inaugurada em 1889 apenas como travessia ferroviária sobre o rio Tejo, a ponte viu, em 1988, a estrutura antiga (entretanto substituída por outra nova, assente sobre os mesmos pilares) adaptada a ponte rodoviária e cedida às Câmaras de Vila Nova da Barquinha e Constância.

A circulação rodoviária naquela ponte só é permitida a veículos ligeiros até 3500 quilos e que não ultrapassem os 2,10 metros de altura e os 2,40 metros de largura, exceptuando as viaturas de emergência e transportes escolares.

O autarca de Constância referiu que a questão ferroviária “nem é a mais preocupante nos constrangimentos que se verificam” actualmente, tendo reiterado que aquela travessia, “em termos rodoviários, continua a funcionar apenas com um tabuleiro e a circulação rodoviária a fazer-se num só sentido”, alternado e regulado por semáforos.

Sérgio Oliveira insistiu na “construção de uma nova ponte” na região, situada entre os municípios de Constância e de Abrantes.

“Esta é uma antiga aspiração do município de Constância e o Governo está a par desta necessidade”, concluiu.

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS