‘Caminhos da Água’ com mais de 30 espectáculos gratuitos a partir de dia 13 na região do Médio Tejo

O segundo momento de 2018 da rede cultural Caminhos do Médio Tejo segue os cursos de água da região – Caminhos da Água – e realiza-se nos dias 13-15 e 19-22 de Julho, com mais de 30 espectáculos gratuitos, desta vez em Abrantes, Alcanena, Constância, Ferreira do Zêzere, Mação, Sertã, Torres Novas e Vila de Rei.

Como já tem sido hábito, o leque de ofertas culturais é amplo, com propostas nas áreas da música, teatro de rua, circo contemporâneo, e até jogos e histórias para usufruir em família ou o desafio para percorrer os diversos percursos artísticos.

Na música, há Alexandre Search, projecto criado e liderado por Júlio Resende (Ferreira do Zêzere), o sempre bem-vindo Samuel Úria (Constância), Bonga (Alcanena), provavelmente o maior embaixador da música angolana em Portugal, Isaura (Constância), que após a viagem à Eurovisão, apresenta o seu álbum de estreia, Joana Barra Vaz (Alcanena) traz-nos um envolvimento entre a folk e a electrónica, e ouvem-se sonoridades acústicas de Les Saints Armands e de Valter Lobo. Juntam-se o poder da voz, do jazz e dos blues de Budda Power Blues & Maria João (Sertã), os explosivos Melech Mechaya (Vila de Rei) e a experimentação sonora de Sonoscopia (Torres Novas).

O teatro na rua acontece com espectáculos de CircolandoÁgua (Abrantes e Torres Novas), PIA Entremundos (Sertã), Projeto EZEZ SUB (Abrantes, Alcanena, Constância, Ferreira do Zêzere, Mação, Sertã, Torres Novas e Vila de Rei) e YtuquepintasSueños de Arena (Abrantes e Vila de Rei) e há circo contemporâneo com Vol’e Temps (Constância e Ferreira do Zêzere) e The Funes Troup (Alcanena e Vila de Rei).

Há ainda propostas para os mais pequenos e as suas famílias, com Casa das Brincadeiras (Sertã e Torres Novas) ou as Histórias do Bestiário Tradicional Português (Constância e Mação), ou o desafio a acompanhar os percursos de cinco artistas para se encontrarem novas paisagens em trilhos de todos os dias, com Ana Bento (Ferreira do Zêzere), BURILAR (Vila de Rei), Francisco Goulão (Abrantes), João Bento (Sertã) e Tiago Correia (Alcanena).

Toda a programação do Caminhos do Médio Tejo é gratuita e apresenta-se, uma vez mais, com um programa cultural dinâmico e apelativo, para todos os gostos e idades.

O Caminhos do Médio Tejo 2018 – Programação Cultural em Rede – divide-se em três ciclos programáticos, que percorrem os acessos viários da região para chegar a todas as comunidades.

Em Abril deste ano, teve lugar o Caminhos do Ferro, que acompanhou as linhas ferroviárias. Agora, em Julho, o programa vai por outros caminhos e segue os cursos dos rios. Já a terceira edição, em Outubro, percorre as estradas para assistirmos ao Caminhos da Pedra.

Criado em 2017 pela Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo e os 13 municípios integrantes, este projecto pretende proporcionar encontros em redor da cultura, colocando os recursos e espaços naturais ao serviço das comunidades. Encontros dos artistas com as comunidades, dos residentes com os vizinhos ou com outros visitantes, da arte com o entretenimento e da cultura com a paisagem natural.

PROGRAMA CAMINHOS DA ÁGUA – JULHO 2018

13JUL (6ªF)

10:00-13:00 / 14:30-18:00 Casa das Brincadeiras – Jardim das Rosas, Torres Novas – jogos e histórias

10:00 De mapa na mão e água nos lábios, BURILAR – Igreja Matriz, Vila de Rei – percurso

10:30 Aqui no lugar, Ana Bento – Avecasta, F. Zêzere – percurso

11:00 EZ SUB, Projecto EZ – Praia Fluvial Olhos d’ Água, Alcanena – teatro de rua

16:00 EZ SUB, Projecto EZ – Margem Ribeirinha, Constância – teatro de rua

De mapa na mão e água nos lábios, BURILAR – Igreja Matriz, Vila de Rei – percurso

18:00 Les Saint Armand – Praia da Bairrada, F. Zêzere – música

21:00 Isaura – Praça Alexandre Herculano, Constância – música

21:30 Melech Mechaya – Largo do Mercado Municipal, Vila de Rei – música

14JUL (SAB)

10:00-13:00 / 14:30-18h Casa das Brincadeiras – Jardim das Rosas, Torres Novas – jogos e histórias

10:30 Aqui no lugar, Ana Bento – Avecasta, F. Zêzere – percurso

11:00 Bestiário à Solta, Histórias do Bestiário Tradicional Português – Parque Ambiental de Santa Margarida, Constância – jogos e histórias

15:00 Bestiário à Solta, Histórias do Bestiário Tradicional Português – Praia Fluvial Cardigos, Mação – jogos e histórias

16:00 Bestiário à Solta, Histórias do Bestiário Tradicional Português – Jardim 25 de Abril, Montalvo – Constância – jogos e histórias

17:00 Bestiário à Solta, Histórias do Bestiário Tradicional Português – Praia Fluvial Cardigos, Mação – jogos e histórias

18:00 Água, Circolando – Jardim das Rosas, Torres Novas – teatro de rua

Aqui no lugar, Ana Bento – Avecasta, F. Zêzere – percurso

19:00 De mapa na mão e água nos lábios, BURILAR – Igreja Matriz, Vila de Rei – percurso

21:00 Água, Circolando – Jardim das Rosas, Torres Novas – teatro de rua

21:30 Distans, Vol’e Temps – Praça Dias Ferreira, F. Zêzere – circo contemporâneo

22:30 Samuel Úria – Praça Alexandre Herculano, Constância – música

15JUL (DOM)

10:00-13:00 / 14:30-18:00 Casa das Brincadeiras – Jardim das Rosas, Torres Novas – jogos e histórias

10:00 De mapa na mão e água nos lábios, BURILAR – Igreja Matriz, Vila de Rei – percurso

10:30 Aqui no lugar, Ana Bento – Avecasta, F. Zêzere – percurso

Bestiário à Solta, Histórias do Bestiário Tradicional Português – Praia Fluvial do Carvoeiro, Mação – jogos e histórias

11:00 Bestiário à Solta, Histórias do Bestiário Tradicional Português – Painel de Neptuno, Constância – jogos e histórias

11:30 EZ SUB, Projecto EZ – Praia Lago Azul, F. Zêzere – teatro de rua

12:00 Bestiário à Solta, Histórias do Bestiário Tradicional Português – Praia Fluvial do Carvoeiro, Mação – jogos e histórias

16:00 Bestiário à Solta, Histórias do Bestiário Tradicional Português – Painel de Neptuno, Constância – jogos e histórias

17:00 EZ SUB, Projecto EZ – Av.João Martins Azevedo, Torres Novas – teatro de rua

18:00 Microscopiofonia, Sonoscopia – Central do Caldeirão, Torres Novas – música

Distans, Vol’e Temps – Anfiteatro dos Rios, Constância – circo contemporâneo

21:30 Alexander Search – Auditório do Centro Cultural, F. Zêzere – música

Joana Barra Vaz – Praça Marechal Carmona, Alcanena – música

19JUL (5ªF)

10:00-13:00 / 14:30-18:00 Casa das Brincadeiras – Praia Fluvial, Sertã – jogos e histórias

16:00 Correspondência: percurso sonoro para o jardim da Serrada, João Bento – Serrada, Sertã – percurso

18:00 Abrantes que já cá não moura, Francisco Goulão – Castelo de Abrantes, Abrantes – percurso

19:00 A Selva, Tiago Correia – Fábrica da Cultura de Minde, Alcanena – percurso

21:00 The Funes Van, The Funes Troup – Praça 8 de Maio, Alcanena – circo contemporâneo

22:00 Bonga – Praça 8 de Maio, Alcanena – música

20JUL (6ªF)

10:00-13:00 / 14:30-18:00 Casa das Brincadeiras – Praia Fluvial, Sertã – jogos e histórias

16:00 Correspondência: percurso sonoro para o jardim da Serrada, João Bento – Serrada, Sertã – percurso

17:00 The Funes Van, The Funes Troup – Praia Fluvial do Penedo Furado, Vila de Rei – circo contemporâneo

18:00 Abrantes que já cá não moura, Francisco Goulão – Castelo de Abrantes, Abrantes – percurso

19:00 A Selva, Tiago Correia – Fábrica da Cultura de Minde, Alcanena – percurso

22:00 Sueños de Arena, Ytuquepintas – Praça Raimundo Soares, Abrantes – teatro de rua

21JUL (SAB)

11:00 EZ SUB, Projecto EZ – Centro Histórico, Abrantes – teatro de rua

16:00 Correspondência: percurso sonoro para o jardim da Serrada, João Bento – Serrada, Sertã – percurso

17:00 EZ SUB, Projecto EZ – Praia Fluvial Ortiga, Mação – teatro de rua

18:00 Entremundos, PIA – Praia Fluvial, Sertã – teatro de rua

Abrantes que já cá não moura, Francisco Goulão – Castelo de Abrantes, Abrantes – percurso

Valter Lobo – Jardim Municipal, Mação – música

19:00 A Selva, Tiago Correia – Fábrica da Cultura de Minde, Alcanena – percurso

21:30 Sueños de Arena, Ytuquepintas – Centro Geodésico de Portugal, Vila de Rei – teatro de rua

22JUL (DOM)

11:00 EZ SUB, Projecto EZ – Praia Fluvial do Bostelim, Vila de Rei – teatro de rua

Água, Circolando – Parque Tejo, Abrantes – teatro de rua

16:00 Correspondência: percurso sonoro para o jardim da Serrada, João Bento – Serrada, Sertã – percurso

17:00 Água, Circolando – Parque Tejo, Abrantes – teatro de rua

EZ SUB, Projecto EZ – Alameda da Carvalha, Sertã – teatro de rua

18:00 Abrantes que já cá não moura, Francisco Goulão – Castelo de Abrantes, Abrantes – percurso

19:00 A Selva, Tiago Correia – Fábrica da Cultura de Minde, Alcanena – percurso

21:30 Budda Power Blues & Maria João – Escadaria do Hotel do Convento, Sertã – música

MÚSICA

ALEXANDRE SEARCH

Música com personalidades múltiplas, que vão desde o indie-pop, à electrónica e ao pop-rock, numa constante busca da quintessência, o mais alto grau da perfeição. Tudo isto, temperado pela genialidade de Fernando Pessoa e da interpretação de Salvador Sobral. Alexander Search foi “o maior conquistador da beleza das palavras”. Foi também um heterónimo de Pessoa e é, agora, um projecto musical criado e liderado por Júlio Resende, que promete fazer transbordar o misticismo de Ferreira do Zêzere para lá das paredes do Auditório do Centro Cultural.

Viagem Concerto
Paragem Ferreira do Zêzere

BONGA

Bonga e água. A receita para criar toda a efervescência do semba é simples. Aquele que é provavelmente o maior embaixador da música angolana em Portugal tem Recados de Fora para dar e vai fazê-lo, com ritmo no pé, em Alcanena. O menino que nasceu nas margens do rio Dange, em Porto Kipiri, passa pelo Alviela para apresentar um pouco do que tem feito nos últimos 40 anos e levar todos prá Angola. É com Água Raz que Bonga abre caminho ao seu mais recente álbum, no qual deixa claro que ainda não lhe passa pela cabeça abandonar o barco da música e do ativismo.

Viagem Concerto
Paragem Alcanena

ISAURA

Depois de vencer o Festival da Canção e de ter espalhado o perfume do seu Jardim por toda a Europa, a vida de Isaura volta ao curso normal. E esse passa pela apresentação de Human, o álbum de estreia de uma artista cujo pop-electrónico começou a pingar dos sintetizadores em 2014. O primeiro disco acaba de sair, e Constância será nascente de um caudal que promete invadir rádios e pistas de dança. Em Human, estão espelhados os dois últimos anos da vida de Isaura, que a meio do caminho, teve de dividir as águas da música que lhe é como uma terapia. Agora, cabe ao público deixar-se levar na corrente que promete fluir com intensidade.

Viagem Concerto
Paragem Constância

JOANA BARRA VAZ

Quem não quer ser lobo não lhe veste a pele. Joana Barra Vaz, porém, não tem medo de imergir nesse mundo e vai dar provas disso em Alcanena. Será como uma onda vinda da margem de lá, onde água é salgada, para, com a sua voz doce, envolver o folk e a eletrónica, dando um novo sabor ao Alviela. Porque é tudo isso que mostra no seu álbum de estreia – Mergulho em Loba –, um disco que corre urgente e no qual se percebe que a água lhe oferece caminhos infinitos às canções. Como uma corrente que a puxa, é lá que o imaginário das cantigas que escreve desagua de forma recorrente.

Viagem Concerto
Paragem Alcanena

LES SAINT ARMAND

Les Saint Armand andam às voltas com o desde 2016. O primeiro álbum deste projecto de música cantada em português, a várias vozes, continua a levá-los a calcorrear caminhos que fogem dos circuitos habituais. Num momento em que estão a preparar o primeiro disco de longa duração, estes artistas associados da companhia A Turma, voltam ao Médio Tejo onde foram eleitos pelo público como banda Revelação 2017, no Bons Sons. Acústicos como sempre, terão a beleza natural da praia da Bairrada como palco. E não tardaram a voltar à beira rio, porque o mar…

Viagem Concerto
Paragem Ferreira do Zêzere

BUDDA POWER BLUES & MARIA JOÃO

Budda Power e Maria João. Blues e Jazz. Uma união que vai buscar o que há de mais puro em cada uma das partes e resulta num deleite cristalino. Água mole em pedra dura… ou a delicadeza e teatralidade de Maria João num casamento perfeito com a voz rouca e a guitarra elétrica de Budda Guedes. Essa junção improvável é a alma deste The Blues Experience. E a sua energia até poderá ser captada pelas barragens que delimitam uma vila que, orgulhosa da união das forças ribeirinhas que acontece no seu leito, a imprime no seu brasão. O Convento da Sertã será o cenário de uma noite que tem tudo para ser histórica.

Viagem Concerto
Paragem Sertã

MELECH MECHAYA

Por onde quer que passem, os Melech Mechaya tornam-se o centro da festa. Um centro flutuante, tal a vida e energia que arrastam consigo, e cujas ondas transversais se tornam imparáveis. Depois de terem amanhecido como banda com um mergulho pioneiro no mundo de alegria explosiva da música klezmer em Portugal – com todas as influências que se cruzam nesse caminho, desde sonoridades árabes, balcânicas, ao jazz e ao folk -, a sua mais recente Aurora apresenta-se mais calma e introspectiva. Mas eles prometem continuar a ser os reis da festa. Melech mechaya, em hebraico. Reis da festa, em Vila de Rei.

Viagem Concerto
Paragem Vila de Rei

VALTER LOBO

Talvez por ser de água, Valter Lobo vive de forma intensa o que sonhou no calor da infância. Talvez por ser de água, tornou a vida um rio. Depois de atravessar o Inverno, aportou no Mediterrâneo que lhe aquece a viagem desde 2016. É de guitarra acústica nas mãos e voz afinada em português que este advogado de formação dita as suas leis na música. Afluente de Fafe, cidade no meio da encruzilhada dos rios Ferro, Bugio e Vizela, Valter Lobo desbrava caminho, fugindo do seu curso normal para desaguar à beira Tejo. E promete deixar em flor o Jardim de Mação.

Viagem Concerto
Paragem Mação

SAMUEL ÚRIA
Lançou-se na música com O Caminho Ferroviário Estreito, mas é nos Caminhos da Água que flui para o Médio Tejo. Haverá “cargas de ombro” ao ritmo do melhor trovador português, no exato ponto onde o Zêzere e o Tejo se encontram com uma “graça incomum”. É em Constância que Samuel Úria se dá corda, “teimoso que nem um moleque” que ninguém “precisa que diminua”. E para ele, que na língua portuguesa nunca é forasteiro, o palco estará montado a poucos metros do monumento erigido a Luís Vaz de Camões, um dos maiores de sempre no domínio desse império.

Viagem Concerto
Paragem Constância

SONOSCOPIA

A experimentação sonora é o caminho que Gustavo Costa e Henrique Fernandes decidiram seguir. Neste espectáculo, os dois músicos do Porto colocam os seus conceitos de molho e pretendem levar a Central do Caldeirão à ebulição. Isto, através da amplificação de fenómenos sonoros microscópicos vindos do fundo de… aquários. Para as margens do rio Almonda fica a promessa da descoberta de um novo universo musical através de uma pequena sinfonia de blops, glups, plonks e plops.

Viagem Concerto
Paragem Torres Novas

Água, Circolando

Circular pelos caminhos por onde a água nos leva, conhecendo os seus diferentes estados através de micro-histórias que nascem do cruzamento entre instalação, arte pública e performance. Esse é o convite feito pela Circolando no espectáculo Água, que pretende inundar de gente o Jardim das Rosas, em Torres Novas, e o Parque Tejo, em Abrantes. Com a água como elemento central e um elo, três iglôs são o ponto de partida do pivot ecologista, do pescador de águas frias e do mago da terra negra, numa performance em que a água convida a uma contemplação em profundidade, com a consciencialização como fundo.

Viagem Teatro de Rua
Paragens Abrantes e Torres Novas

ENTREMUNDOS, PIA

Que a morte é uma das grandes questões do universo, é claro como a água. Aquilo que varia é a forma como caminhamos na vida para chegar a esse destino. A Companhia PIA dedica um espectáculo a esta viagem ENTREMUNDOS, o dos vivos e o dos mortos, criando um universo paralelo onde nem a possibilidade de congelar o tempo trava o normal discorrer das vidas, que, como os rios, não têm forma de correr de volta à nascente. Neste espetáculo, porém, todos vão poder voltar a olhar para o mundo na perspectiva de uma pequena criança. Ali, na praia fluvial da Sertã, onde a Ribeira Grande corre sem medo em direcção ao horizonte.

Viagem Teatro de Rua

Paragem Sertã

EZ SUB, Projecto EZ

Deixando-se levar pela corrente dos Caminhos da Água, um submarino terrestre vai percorrer os sete municípios integrantes deste ciclo, com o objectivo de fazer emergir alegria e espanto à sua passagem. Momentos de teatro itinerante com recurso a uma máquina de grandes proporções que vai navegar por entre qualquer mar de gente. E que corre o risco de ficar inundado pelo público que não vai perder a oportunidade de embarcar nesta aventura e tornar-se protagonista de mais uma performance do Projecto EZ.

Viagem Teatro de Rua
Paragem Abrantes, Alcanena, Constância, Ferreira do Zêzere, Mação, Sertã, Torres Novas e Vila de Rei

Sueños de Arena, Ytuquepintas

Sonhos construídos em grãos de areia que pingam das mãos de Borja González. Surgem de forma mágica para depois desaparecer por caminhos que não deixam rasto, dando lugar a novas imagens que nascem e preenchem o imaginário. Os Sueños de Arena são tão efémeros como os que nos invadem as noites e igualmente impossíveis de continuar ou repetir. É arte que se desvanece com a força de um sopro e que, por isso mesmo, tem de ser vivida no momento. É a história de duas pessoas, servida em ambiente intimista que vai envolver o público de Abrantes e Vila de Rei, levando-o a mergulhar nestes Sueños.

Viagem Teatro de Rua

Paragem Abrantes e Vila de Rei

CIRCO CONTEMPORÂNEO

Distans, Vol’e Temps

A amizade e as memórias são a marca de água no cruzamento de caminhos de dois velhos amigos, 20 anos depois desse reencontro ser agendado em forma de promessa. O regresso às raízes é feito na velha casa da árvore onde as tardes da infância eram partilhadas, na qual essa cambalhota para trás no tempo é apenas o primeiro de incontáveis momentos acrobáticos. Num espetáculo que mistura circo contemporâneo e teatro físico, a companhia espanhola Vol’eTemps aproxima o seu mais recente espetáculo, Distans, de Constância e de Ferreira do Zêzere, onde faz a sua estreia nacional.

Viagem Circo Contemporâneo
Paragem Constância e Ferreira do Zêzere

The Funes Van, The Funes Troup

Três amigos, uma caravana, bebida, malabarismos, saltos e pinotes sem conta. No meio de tudo isto, os três elementos que compõem a companhia espanhola The Funes Troup prometem uma barrigada de gargalhadas, esperando não meter água pelo caminho. Mas mesmo que isso aconteça, o mais provável é que esteja tudo planeado. Funes Van não é mais do que um jogo entre o clown e o circo contemporâneo, em que a tripla de interpretes mostra o quão irracionais, egoístas e inúteis podem ser as ideias do ser humano. Tudo numa linguagem simples e acessível para todos os públicos.

Viagem Circo Contemporâneo
Paragem Alcanena e Vila de Rei

JOGOS E HISTÓRIAS

Casa das Brincadeiras

Diz a sabedoria popular que “em casa de ferreiro, espeto de pau”. Mas na Casa das Brincadeiras não há espaço para dúvidas, Empurro eu, empurras tu, mas todos brincam. E porque os Caminhos da Água são também para os mais pequenos – aqueles por quem se começa a construir o futuro – eles próprios vão ter a possibilidade de criar os alicerces e as pontes desta relação. Para isso, terão a Cidade da Esponja, que lhes promete absorver o tempo, fazendo jorrar alegria em repuxos de criatividade, mas também a Cidade Visível, construída à imagem de cada um, em Torres Novas e na Sertã.

Viagem Jogos e Histórias
Paragem Sertã e Torres Novas

Bestiário à Solta, Histórias do Bestiário Tradicional Português

Nuno Matos Valente pegou na oralidade do imaginário do bestiário português e enclausurou-o num livro para que não se perdesse no folhear do tempo. Mas como criaturas assim não são para estar presas, Joana Bértholo juntou as letras num caldeirão, adicionou-lhes água na dose certa e, sob orientação de Ana Lúcia Palminha, fez uma poção mágica que devolveu vários daqueles monstros à vida. E agora, o bestiário vai andar a vaguear à solta em Constância e Mação, com o objectivo de alterar a perspectiva que se tem de figuras como o homem do saco ou o benzilhão que de todos os males nos cura.

Viagem Jogos e Histórias
Paragem Constância e Mação

PERCURSOS

A criatividade de cinco artistas ganhou caudal com as ideias e partilhas que afluíram das comunidades por onde passaram em residência artística. Depois de recolhidas as lembranças que as gentes de Alcanena, Abrantes, Ferreira do Zêzere, Sertã e Vila de Rei têm dos seus lugares, é tempo de voltar a esses caminhos, num convite para que as populações e os visitantes se juntem aos artistas, encontrando novas paisagens em trilhos de todos os dias. Como uma espécie de processo de fertilização dos solos esquecidos, que querem, agora, germinar memórias colectivas renovadas, numa projecção da visão dos artistas convidados.

Aqui no lugar, Ana Bento

Viagem Percurso
Paragem Ferreira do Zêzere

De mapa na mão e água nos lábios, BURILAR

Viagem Percurso
Paragem Vila de Rei

Abrantes que já cá não moura, Francisco Goulão

Viagem Percurso
Paragem Abrantes

Correspondência: percurso sonoro para o jardim da Serrada, João Bento

Viagem Percurso
Paragem Sertã

A Selva, Tiago Correia

Viagem Percurso

Paragem Alcanena

info, , , , , , , , , ,

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS