Foto: José Freitas

“Chefs ao Tejo”, a ter lugar nos dias 21, 22 e 23 de Abril, em Santarém, é uma de várias iniciativas do programa Santarém Capital da Gastronomia, promovido pela Câmara Municipal de Santarém, e que tem como eixo estratégico promover e consolidar a forte relevância do concelho na área da gastronomia nacional.

Este conjunto de acções que o município irá implementar ao longo do ano, e que vão culminar na realização do já emblemático Festival Nacional de Gastronomia, em outubro, têm o seu início já este mês, com esta acção de três dias em que dois chefes de renome internacional irão visitar a região e integrar toda uma agenda focada no peixe do rio.

Como anfitrião, o chef Rodrigo Castelo – recentemente nomeado embaixador para a gastronomia de Santarém – faz as honras da casa para receber Diego Gallegos e João Rodrigues, dos estrelados Sollo (uma estrela Michelin e estrela verde Michelin) e Feitoria (uma estrela Michelin), restaurantes que em Espanha (Málaga) e Portugal (Lisboa), respetivamente, se encontram junto ao Tejo e por isso integram este evento dedicado ao peixe do rio, produto que trabalham nas suas cozinhas, e que vêm aqui apresentar com diferentes abordagens.

Diego Gallegos, chef e pesquisador, conhecido como “el chef del caviar”, introduziu uma visão única no campo da gastronomia ao incluir peixes de água doce no seu menu. João Rodrigues tem já reconhecido o seu trabalho de grande proximidade com a natureza, sendo o rio um dos seus elementos, que irá estar em destaque pelas mãos dos três chefes que ao longo do curso do Tejo, desenvolvem diferentes projetos gastronómicos.

“Este evento marca o início de um conjunto de atividades que o município vai desenvolver ao longo de todo o ano para promover e apoiar a restauração local, como já tem vindo a fazer em iniciativas anteriores, como é o caso das Festas de São José, no passado mês de março. Todas as iniciativas previstas são uma forte aposta para impulsionar o turismo e a restauração do concelho, e começamos da melhor forma, recebendo ilustres figuras da gastronomia ibérica, dando destaque ao peixe no rio, um produto que merece toda a atenção, até porque traz a debate uma série de questões relevantes, como a sustentabilidade, que estará em grande destaque nestes dias”, refere João Teixeira Leite, vereador da Câmara Municipal de Santarém com o pelouro do turismo e grandes eventos.

“E agora que temos o chef Rodrigo Castelo como embaixador para a gastronomia de Santarém sabemos que temos um apoio importante para continuar a desenvolver ações que coloquem o concelho na dianteira da gastronomia nacional”, acrescenta o vereador.

Durante três dias, os três chefes irão percorrer a cidade, começando com uma recepção oficial na Câmara Municipal com apresentação do programa Santarém Capital da Gastronomia, passando por incursões no terreno, como a visita à Escola Superior Agrária de Santarém (ESAS) na manhã de sexta-feira, para observação de processos de transformação como a secagem, a cura, e a fumagem, e promoção de produtos inovadores, feitos à base de peixe de rio, desenvolvidos na escola.

De seguida, outro momento dedicado a este produto será a visita ao Mercado Municipal para uma mostra de peixe do rio, onde serão identificados diferentes peixes e mariscos, e os diferentes cortes que os chefes trabalham. Um dos pontos (mais) altos desta iniciativa será a Mesa Redonda, no dia 22, que será antecedida de um almoço preparado pelo chef Luís Barradas, que irá apresentar a visão de um mestre da arte japonesa, a sua, trazendo a contemporaneidade para mais um momento de gastronomia do evento “Chefs ao Tejo”.

A ter lugar nos Cais das Caneiras, mesmo junto ao rio, este será um espaço de debate, em que em cima da mesa estará o peixe do rio. Com um painel de oradores que inclui Ricardo Gonçalves, presidente da Câmara Municipal de Santarém, o investigador de peixe de água doce João Gago, os três chefes ibéricos, Carlos Serra, pescador, e Sérgio Tente, que representa aqui a pesca desportiva, esta conversa aberta sobre peixe do rio, pesca desportiva, sensibilização sobre o ecossistema, sustentabilidade do rio e a cultura avieira, entre outros temas ligados ao Tejo, será moderada pelo jornalista Edgardo Pacheco.

“É para mim uma grande satisfação ver a aposta forte que a Câmara Municipal está a fazer neste sector. É um orgulho receber na minha cidade dois chefes como o Diego Gallegos e o João Rodrigues, e mais importante que tudo, em conjunto promovermos o debate sobre temas tão importantes e tão atuais como a sustentabilidade do rio. Eu trabalho o peixe do rio há vários anos, é uma paixão minha, e todas as iniciativas para o valorizar, bem como para valorizar outros produtos locais, são para mim momentos de orgulho e de motivação. O Chefs ao Tejo marca o início de uma série de eventos que vão acontecer na cidade ao longo do ano, e isso significa agitar as águas e mostrar que a região de Santarém tem um potencial enorme no panorama gastronómico, e uma riqueza na terra e no rio, que merece ser destacada”, realça o chef Rodrigo Castelo.

Este debate revela o empenho e preocupação do município em pôr o assunto na ordem do dia, alertar para a questão da sustentabilidade do rio, tema tão importante para a região, e o papel fundamental que a gastronomia desempenha neste contexto. Fala-se de inovação e de uma renovação, que vai do receituário tradicional às novas formas de preparar o peixe do rio – e o contributo dos chefes para as novas abordagens do produto local e sua valorização – passando pela transformação do produto. Este trabalho que envolve técnicas como a salmoura, as curas ou a fermentação, há vários anos desenvolvido pelo chef Rodrigo Castelo, em parceria com a ESAS, é agora reforçado por um grupo de investigação para o qual o chef foi convidado, e com o qual irá continuar a explorar a grande versatilidade do peixe do rio, e a mostrar a viabilidade deste se adaptar ao fine dining e aos novos tempos, que trazem novos desafios. Mas a gastronomia não é o único foco. Esta discussão pretende integrar os vários campos presentes na Mesa Redonda, e no centro está a sustentabilidade, que toca todos as vertentes representadas pelos oradores.

Claro que em evidência estará o sector da restauração local, que o município tem tido a preocupação de envolver nas suas iniciativas de carácter gastronómico, como forma de ajudar e dar ferramentas para que os restaurantes do concelho tenham um lugar de destaque no turismo da região, como já acontece com vários espaços de referência, entre eles o Ó Balcão do chef Rodrigo Castelo.

Neste âmbito, e porque o município está muito atento a esta questão, restaurantes da cidade fazem parte do programa, com apresentação de menus que homenageiam o peixe do rio. “Sabores do Tejo” vão ser servidos ao jantar na Casa Lusitana (quinta-feira, dia 21), num menu de pura essência avieira, no restaurante Oh! Vargas (dia 22, sexta-feira), onde o chef Rui Santos apresenta um menu que alia o respeito pelo receituário tradicional a alguma irreverência, e no Ó Balcão (dia 22, sábado), num momento protagonizado por três chefes. Para estes momentos de celebração do produto que durante estes três dias vai animar a cidade, é possível reservar lugar diretamente com os restaurantes, para aproveitar esta oportunidade de saborear diferentes formas de o confecionar. O jantar no restaurante Ó Balcão de Rodrigo Castelo, que encerra o programa, no último dia do “Chefs ao Tejo”, será preparado a seis mãos. Ao chef escalabitano juntam-se na cozinha Diego Gallegos e João Rodrigues, ficando a cargo de cada chef uma entrada e um prato, num menu de sete momentos complementado pela sobremesa preparada pelo chef pasteleiro do restaurante. À mesa de quem se quiser juntar a esta festa chegarão diferentes experiências gastronómicas, sempre tendo por base o produto que dá origem a toda a iniciativa, o peixe de rio.

A par desta aposta do plano “Santarém Capital da Gastronomia”, é importante apontar na agenda outros eventos já programados, uma vez que a Câmara Municipal de Santarém desenvolveu uma linha de atividades que ao longos dos próximos meses vão continuar a dar palco ao melhor da região. Em Maio, há “Petiscos e Vinhos do Tejo”, em junho é a vez dos “Chefs à Lezíria”, e em julho, o “Food & Gin” vai juntar provas de gin e iguarias da restauração local. Como já mencionado, em Outubro está confirmada a 41ª edição do tradicional Festival Nacional de Gastronomia.

Toda esta programação demonstra bem a aposta do município na promoção e valorização da gastronomia local, à qual estão intrinsecamente ligados os produtores locais e regionais, e todo um empenho em elevar o concelho no panorama gastronómico português.

Leia também...

A herdade no Alviela e o pergaminho que ia para o lixo

Pergaminho do século XII salvo do lixo em Vale de Figueira.

Lenda da Sopa da Pedra chega às crianças de todo o mundo através da Expo 2020 Dubai

A lenda da Sopa da Pedra, prato típico de Almeirim, foi incluída…

Associação ‘Praça Maior’ fecha gestão da Praça de Touros ‘Celestino Graça’ com sentido de missão cumprida

A Associação “Praça Maior”, responsável pela organização das corridas de toiros na…

Gilberto Gil dá concerto com Adriana Calcanhotto em Santarém

A 7 de Novembro.