Governo reconhece que deixou empresários de Santarém fora dos apoios ao emprego mas promete solução em breve

A Ministra Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, reconheceu hoje que os empresários do concelho de Santarém estão excluídos dos apoios à criação de emprego através do programa +CO3SO, tal como foi denunciado pelos deputados do PSD eleitos pela região.

Numa pergunta dirigida à ministra e ao ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, os deputados do PSD do distrito de Santarém Duarte Marques, Isaura Morais e João Moura referiam que “se as linhas para a criação de emprego no interior do país têm estado a funcionar e a receber o empenho do Governo nas mais diversas ocasiões, importa lembrar que algumas cidades do interior se encontram arredadas de concorrer a esses incentivos, colocando-as na prática com o mesmo estatuto de Lisboa”.

“O instrumento + Coesão Emprego Urbano é o único que permite às regiões e concelhos que não são consideradas de baixa densidade populacional, e que estão localizados no interior, aceder a incentivos à criação de emprego”, refere a pergunta remetida por aquele grupo de deputados no início de Setembro.

PUBLICIDADE

Os sociais-democratas defendiam não ser sensato que “não estejam abertas linhas de financiamento para investimentos criadores de emprego nas zonas urbanas, como por exemplo Santarém”.

Os deputados do PSD perguntaram, por isso, ao Governo, como justifica que “o programa +CO3SO Emprego Urbano não esteja acessível em todas as regiões, impedindo os cidadãos de concelhos como Santarém de aceder a este tipo de incentivos”.

Em resposta enviada ao Parlamento, Ana Abrunhosa reconheceu esta ausência de apoio e revelou, também, que já foi contactada a Autoridade de Gestão do POR Alentejo 2020 e que esta entidade “procederá em breve à abertura do aviso, no âmbito do +CO3SO, para entidades sediadas no perímetro urbano de Santarém”.

Em comunicado, Duarte Marques lamenta toda esta situação “bastante prejudicial para as pessoas e para as empresas do concelho de Santarém, mas pelo menos neste caso o Governo tem a humildade de reconhecer o problema e de imediata proceder à sua resolução”.

“Não faz sentido que os empresários localizados em Santarém sejam prejudicados face a praticamente todo o país. Acredito que tenha sido um desleixo mas prejudicou bastante as pessoas numa altura em que elas mais precisam. Felizmente os Deputados do PSD estavam atentos e agiram de imediato. Esperamos agora que o Governo cumpra a sua parte”, conclui o deputado eleito pelo círculo de Santarém.

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS