Jovens empreendedores ribatejanos criam projecto de lar de idosos online

João Ferreira e Bruno Galaio, dois jovens empreendedores do distrito de Santarém, viram o projecto ZOI ser beneficiado com duas bolsas de financiamento pelo programa StartUp Voucher do IAPMEI. O objectivo desde projecto é permitir a criação de um lar de idoso online, segundo os criadores.

“A premissa é agilizar a prestação de cuidados domiciliários de qualidade, ao mesmo tempo que garantimos a segurança dos idosos recorrendo a soluções tecnológicas”, refere Bruno Galaio, natural de Pontével, concelho do Cartaxo.

Para João Ferreira, natural de Santarém, a tecnologia é vista “como uma ferramenta que pode ser utilizada para melhorar a maneira como envelhecemos e tomamos conta dos nossos idosos. O nosso objectivo é combinar estas ferramentas digitais para criar uma solução que facilite a vida das pessoas. Nesse processo, aumentamos a qualidade de vida de ambas as partes.”

PUBLICIDADE

Fruto do envelhecimento generalizado da população o mercado dos cuidados é dos que mais tem crescido em países como o Brasil e os EUA. Uma tendência que os empreendedores acreditam que se replicará na Europa, nomeadamente em Portugal.

“Vivemos num mundo rápido, onde existe cada vez menos tempo para tomarmos conta dos nossos ente-queridos, e quando finalmente temos esse tempo queremos passá-lo em qualidade. Uma solução como a ZOI encaixa-se nesta nova sociedade acelerada, em que quase todos temos alguém em casa que precisa de cuidados e atenção”, explica João Ferreira.

O projecto nasceu de um problema real e já vivenciado por Bruno Galaio, que a certa altura se deparou com uma situação difícil. O avô encontrava-se com uma condição clínica semelhante à do Alzheimer, condição esta obrigou os familiares mais próximos, incluindo o Bruno, a procurar meios e ferramentas para apoiar o avô e dar-lhe as melhores condições de vida possíveis. Aqui notou que havia a necessidade de facilitar a vida de pessoas em situações semelhantes.  

“Se nos apaixonarmos por um problema temos a possibilidade de o resolver. É neste processo que somos disruptivos e é quando empreendemos e criamos algo com valor, este é o nosso mindset ao trabalhar na ZOI”, evidencia Bruno Galaio.

Mais tarde, durante o percurso académico acaba por encontrar o seu actual sócio, João Ferreira, que partilhava o mesmo sentimento, e que após ouvir a ideia, então parada na gaveta, decidiu impulsionar a concretização da mesma, estando ambos a trabalhar no projecto desde Janeiro de 2019.

“O que estamos a fazer com a ZOI é construir uma solução que gostávamos de ter disponível para cuidar dos nossos pais e avós.”, conclui João Ferreira.

O projecto ZOI está em fase de implementação.

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS