Morreu o toureiro Ricardo Chibanga

Ricardo Chibanga, o único matador de touros africano da história da tauromaquia, morreu na madrugada desta terça-feira, 16 de Abril, na sua residência, na Golegã.

O toureiro de 76 anos de idade, foi hospitalizado no Centro Hospitalar do Médio Tejo, na sequência de uma Acidente Vascular Cerebral (AVC) no passado dia 2 de Março.

Ricardo Chibanga tinha tido alta hospitalar à cerca de uma semana.

Na manhã desta terça-feira, cerca das 09:30, os bombeiros da Golegã foram chamados a casa do toureiro, alegadamente em paragem cardiorrespiratória, disse à Lusa fonte da corporação, indicando que também foi mobilizada a viatura médica de emergência e reanimação (VMER) do Médio Tejo e que o óbito foi declarado no local.

Natural de Moçambique, Ricardo Chibanga veio para Portugal nos anos 60 do século passado, tendo sido apoiado por várias figuras da festa brava, como o matador de touros e empresário taurino Manuel dos Santos.

A alternativa de matador de touros de Ricardo Chibanga surgiu na Real Maestranza de Caballaria de Sevilha a 15 de Agosto de 1971, tendo sido apadrinhado por António Bienvenida, com o testemunho de Rafael Torres.

Em Portugal, apresentou-se como matador de touros na praça do Campo Pequeno, em Lisboa, no dia 19 de Agosto de 1971, tendo toureado ao lado do matador espanhol José Luis Galloso.

Ricardo Chibanga abandonou as arenas no início dos anos 90 do século passado, tendo adquirido uma praça de touros desmontável em que promovia festejos taurinos, alugando também o equipamento a outros empresários tauromáquicos.

Foi na Golegã que se radicalizou e viveu até aos dias de hoje.

O funeral do antigo toureiro moçambicano, realiza-se na quarta-feira, pelas 17h00, na igreja matriz da Golegã. O corpo encontra-se em câmara ardente na capela da Misericórdia.

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS