Orçamento Suplementar

De regresso a estas cartas onde vos dou conta da atividade do nosso Parlamento, não poderia deixar de comentar toda a negociação que levou ao aprovar do Orçamento Suplementar, ainda que com a abstenção do PSD.

E a abstenção é fácil de explicar, pois embora se trate de um documento essencial para que o Estado possa dotar os seus vários serviços das verbas necessárias para o combate a esta pandemia, nas suas múltiplas vertentes, não só na área da saúde, o mesmo não refletia o pensamento político do PSD nas diversas medidas que propunha.

E foi graças ao PSD que medidas como o apoio excecional aos profissionais de saúde e aos sócios gerentes das PME’s foram aprovados, corrigindo aquilo que todos nós julgávamos ser uma injustiça no tratamento face a outros trabalhadores.

PUBLICIDADE

Mas apesar do grande sentido de responsabilidade e de compromisso para com os Portugueses que levou o PSD a viabilizar este orçamento, muitas medidas que considerávamos essenciais ficaram por aprovar. É o caso das que defendiam que o Estado pague a tempo e horas e da informação ao Parlamento sobre a gestão do processo TAP.

Defendemos também outras posições que julgamos importantes, entre elas o apoio aos nossos Bombeiros Voluntários e a resolução da situação das Estruturas Residenciais para Idosos/Lares de Idosos que não se encontram legalizadas, que, no nosso Distrito, se estimam em cerca de 300, um problema de todos conhecido e que poderia ser resolvido com a criação de equipas multidisciplinares ao nível distrital, que pudessem efetuar o acompanhamento destas estruturas, no sentido da sua legalização. Um trabalho importante na procura de melhores condições de vida para os nossos cidadãos séniores cujas famílias não dispõem de condições para os acolher no seu seio.

E, na sua intervenção no Parlamento, os Deputados do PSD eleitos pelo Distrito questionaram os Ministros do Ambiente e Ação Climática, da Agricultura, do Ensino Superior, da Administração Pública e da Coesão Territorial, sobre questões que nos preocupam a todos, desde a qualidade da energia que é fornecida às nossas empresas aos meios e apoios disponíveis para ajudar os nossos agricultores, e tivemos também oportunidade de ouvir os representantes das entidades nacionais do desporto e perceber as dificuldades na retoma da atividade desportiva.

Defendemos medidas excecionais, aplicáveis às Autarquias Locais, para que possam continuar a tomar medidas tão importantes e fundamentais para as suas populações. Porque, no meio de tantas incertezas, de uma coisa podemos estar certos, o Poder Local não falha às Populações.

Mais haveria certamente para vos contar, mas, como esta carta já vai longa, gostava de finalizar aproveitando para desejar, a todos os que partem para o gozo das suas férias, excelentes momentos em família, de preferência nas bonitas paisagens, praias e monumentos do nosso Portugal.

Até uma próxima oportunidade de vos trazer mais novas do Parlamento…

Isaura Morais -Deputada do PSD eleita por Santarém

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS