O país atingiu a tão ambicionada meta de conseguir que 85% da população fosse completamente vacinada.

Foram meses e meses de trabalho articulado entre Governo, municípios, organismos do estado, Forças Armadas, instituições de saúde e tantos outros agentes que muito contribuíram para este feito.

Trata-se de um registo impressionante, não só por termos sido o primeiro país europeu a atingir esta meta, como também fomos dos primeiros em todo o mundo a conseguir um objetivo a que os países se propuseram: proteger as suas populações através de um processo de vacinação.

Este processo, iniciado em 27 de dezembro de 2020, parecendo longo, foi de facto um processo desenvolvido em tempo record.

PUBLICIDADE

E se levarmos em linha de conta que o primeiro caso Covid-19, no nosso país, foi confirmado nos primeiros dias do mês de março de 2020, constatamos que decorreram cerca de 18 meses entre esse primeiro caso e a meta agora alcançada.

Naturalmente, vivemos um tempo em que tudo foi executado de forma urgente.

As mortes, os números de casos positivos que iam surgindo todos os dias por todo o mundo, os efeitos da doença na vida das pessoas, no setor da saúde, na economia, nas finanças e em tantas outras áreas, obrigou a este imperativo mundial de tudo ser feito em tempo record, em que a investigação, testagem, produção e inoculação foram etapas executadas sem paralelo na História.

Ainda não sabemos se já estamos definitivamente livres da maldita Pandemia, mas estamos naturalmente melhor em termos de saúde, e muito mais bem preparados para lidar para situações tão inesperadas quanto são estes perigosos vírus.

Hoje, com tudo o que se sabe, já não é possível desvalorizar uma doença desta dimensão, mesmo para os mais incautos ou ignorantes, referindo tão somente que se tratava de uma simples gripe.

Não sendo tempo para grandes celebrações, é sim um tempo que exige cautela e em que os comportamentos sociais não devem passar de um 8 para o 80.

Em Portugal, com quase 18 mil óbitos por Covid-19 e com mais de um milhão de pessoas com casos confirmados, são números que não devemos esquecer e que nos devem fazer refletir nos comportamentos diários.

Fica a prova que, quando queremos e trabalhamos com liderança, planeamento, organização e articulação entre todos, e um espírito de cooperação, em que cada um tenta dar sempre mais, conseguimos alcançar objetivos. 

À frente de todos os outros.

Não é por acaso que, o melhor deste país chamado de PORTUGAL, são mesmo os PORTUGUESES!

Nota:

À hora que escrevo este artigo, Portugal acaba de se sagrar Campeão Mundial de Futsal. 

É mais um grande feito desportivo de um país, com uma população de pouco mais de 10 milhões de pessoas e mais uma demonstração de que, quando queremos e nos preparamos para atingir os nossos objetivos, ficamos sempre mais perto de o conseguir.

PUBLICIDADE
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Leia também...

Da passadeira vermelha para a passadeira da estrada

Atravessar uma estrada tem riscos e é matéria da educação básica de…

Cartas na Caixa do Correio: A propósito do Hospital Distrital de Santarém

Não podia deixar de publicamente expressar algo sobre uma questão, agora tornada…

‘Quem sai aos seus…’, por Pedro Carvalho

Em 1978, o meu irmão Fernando João Nogueira Carvalho era o mais…

‘A requalificação da igreja de Santa Iria na Ribeira de Santarém’, por Vítor Serrão

Existem sempre boas notícias no que toca à salvaguarda do Património Histórico-Artístico…