Ourém compra terreno para construir terceiro centro escolar em Fátima

 A Câmara de Ourém aprovou a aquisição de um terreno para a construção do centro escolar Fátima Sul, que será o terceiro da freguesia.

Numa nota de imprensa, a autarquia informa que foi aprovada na reunião do executivo, na segunda-feira, a proposta de contracto de promessa de compra e venda a celebrar com a Associação Desportiva, Recreativa e Cultural Vasco da Gama, para a aquisição de um terreno por cerca de 40 mil euros, localizado em Boleiros, para a construção do Centro Escolar Fátima Sul.

Citado na mesma nota, o presidente do município, Luís Albuquerque, afirma que se trata de “mais um importante passo rumo à concretização desta infra-estrutura”, que é “uma das prioridades de investimento” do executivo, mas que está “dependente da aprovação de uma candidatura a fundos comunitários, devido ao elevado custo de execução”.

PUBLICIDADE

À agência Lusa, Luís Albuquerque explicou que junto ao campo da associação Vasco da Gama está instalado um jardim-de-infância e, num raio de um quilómetro, duas escolas do 1.º ciclo do ensino básico, uma onde funciona o 1.º e 2.º anos e outra onde estão os alunos dos 3.º e 4.º anos, nas localidades de Boleiros e Maxieira.

“Portanto, estão três estabelecimentos a funcionar em separado e o que se vai construir é um novo edifício junto ao jardim-de-infância já existente para congregar as três escolas”, adiantou o autarca.

Luís Albuquerque referiu que, a concretizar-se, este será o terceiro centro escolar da freguesia de Fátima, depois dos de Cova da Iria e Beato Nuno.

“Estamos a ultimar o projeto e queremos apresentar uma candidatura a fundos comunitários até ao final do mês de Janeiro, para se tentar obter uma comparticipação financeira de 85% para a obra”, declarou.

O presidente da Câmara disse que estima em cerca de um milhão de euros o valor do investimento.

“Se a Câmara obtiver financiamento e se o processo correr normalmente, penso que haverá condições no segundo semestre do próximo ano para a obra iniciar”, afirmou.

De acordo com Luís Albuquerque, o futuro centro escolar vai dispor de “outro tipo de condições” para as crianças, “congregando num único espaço todos os alunos, tendo em conta as directrizes do Ministério da Educação”.

O projeto em curso contempla o que já está edificado do pré-escolar, como, por exemplo, refeitório, cozinha e espaço polivalente, a que se vai juntar salas do 1.º ciclo, uma biblioteca ou uma sala de ciências.

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS