Os concelhos de Vila Nova da Barquinha, Torres Novas e Golegã, vão acolher até Dezembro dezenas de iniciativas culturais sob o lema “Liberdade”, no âmbito do VOLver, programa cultural em rede que junta os três municípios.

A programação do “Volver” inclui um vasto programa de música, cinema, exposições, conferências e teatro, assim como a possibilidade de visitar os locais e os espaços diversificados que os identificam, sendo a cultura apresentada pela organização como veículo de “promoção da aproximação e diálogo entre os povos”, e a ”Liberdade” o mote para a terceira edição da iniciativa.

“A cultura desempenha um papel crucial na promoção e proteção da liberdade ao moldar as atitudes, valores e comportamentos das pessoas em uma sociedade”, indica a organização, em comunicado, tendo feito notar que “uma cultura que valoriza a liberdade de pensamento, expressão e ação, é fundamental para a proteção dos direitos individuais e para o desenvolvimento de uma sociedade justa e democrática”.

Nesse sentido, refere a mesma nota, “a Liberdade do VOLver 2024 é um convite à livre participação num vasto programa cultural diversificado”, a decorrer desde maio e até dezembro, com o “teatro, música, exposições, cinema, palestras, visitas a monumentos e a inúmeros lugares representativos dos patrimónios destes territórios” a serem “o mote para encontros e passeios” por estes três concelhos.

O programa, que se iniciou em Torres Novas com uma “conversa aberta” sobre a guerra colonial e com o concerto “In Memoriam”, na Golegã e em Vila Nova da Barquinha, pelo Coro de Câmara da Associação Cultural Cantar Nosso, leva a 15 de junho, à Golegã, um Festival de Folclore com grupos da região e do país, dia em que será apresentada, nos três municípios, a performance “Uma praça de gente a arder”.

A cargo da associação cultural O Corpo da Dança, “Uma praça de gente a arder” é uma performance alusiva às manifestações realizadas em Torres Novas em 25 de Abril e 01 de maio de 1974, com a projeção de imagens desses dias.

A par do espetáculo, será apresentada uma instalação promovida pelo Museu Municipal Carlos Reis, constituída por 10 fotografias, em que é possível “recordar os rostos de milhares de pessoas que participaram nessas manifestações” e o “ambiente de festa e alegria que então se viveu”, culminando com uma sessão de poesia em que serão partilhados testemunhos de quem vivenciou o 25 de Abril, em Torres Novas.

Ainda em junho, o VOLver leva teatro de marionetas aos três municípios, iniciando o mês de julho, no dia 07. com um concerto de “Tributo a Carlos Paião”, em Vila Nova da Barquinha, pela Associação Concórdia Música.

Ainda em julho, o Jardim das Rosas, em Torres Novas, recebe no dia 12 a Banda Sinfónica da GNR, ao passo que a localidade do Pombalinho, na Golegã, acolhe o músico, compositor e multi-instrumentista Pedro Vicente no dia 20.

O programa anuncia para agosto, no dia 03, a atuação do músico Ruben Portinha, na Golegã, com a aldeia de Azinhaga, no mesmo concelho, a receber no dia 31 um “Arraial Cultural” pelo Rancho dos Campinos d’Azinhaga.

Já em setembro, no dia 14, o Grupo de Teatro Boca de Cena leva ao Virgínia, a Torres Novas, a peça “Coro das Freiras”, com direção de António Lourenço Menezes, com o espetáculo “O Quê?!!”, de Zé Magico, a decorrer, em quatro atos, nos municípios de Torres Novas e Golegã, entre 20 de setembro e 05 de outubro.

O teatro Virgínia recebe, ainda em setembro, a 21, o concerto de “Bicho Carpinteiro”, com Rui Rodrigues (Dazkarieh, Uxukalhus, Casuar) e Diogo Esparteiro (Royal Bermuda, Pas de Probleme), com o Museu Municipal Martins Correia, na Golegã, e a Black Box da Central do Caldeirão, em Torres Novas, a receberem, nos dias 28 e 29, a peça de teatro “De Cá para Lá”.

A Banda da Armada apresenta-se a 19 de outubro no pavilhão desportivo municipal de Vila Nova da Barquinha, com a Praça 5 de Outubro, em Torres Novas, a ser palco de um Encontro de Ranchos, no dia 12, em formato de ‘workshop’ e “partilha de tradições, usos e costumes”.

Até final do ano, o VOLver leva ainda a Vila Nova da Barquinha o espetáculo “Não estavas capaz… não vinhas”, com Ana Arrebentinha, e um Encontro de Bandas, que repete no Palácio dos Desportos, em Torres Novas, a par da peça de teatro “Ladrão que rouba ladrão”, pela companhia Sonhos em Cena.

O programa encerra novembro com a palestra “Liberdade, desafios contemporâneos da democracia”, em Torres Novas, no dia 21, culminando o VOLver 2024 com uma mesa-redonda, a 14 de dezembro, em Vila Nova da Barquinha, com debate aberto à população para “avaliar e refletir” sobre o projeto, e “recolha de contributos para novos ciclos de programação conjunta”.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Leia também...

A herdade no Alviela e o pergaminho que ia para o lixo

Pergaminho do século XII salvo do lixo em Vale de Figueira.

Sete doces regionais do distrito de Santarém nos nomeados às 7 Maravilhas Doces de Portugal

Os Arrepiados e os Celestes de Santarém, o Bolo de Cabeça e…

Lenda da Sopa da Pedra chega às crianças de todo o mundo através da Expo 2020 Dubai

A lenda da Sopa da Pedra, prato típico de Almeirim, foi incluída…

Bordalo II instala poupa gigante no Centro Histórico de Santarém

Artur Bordalo da Silva “Bordalo II” (à esquerda na foto) e a…