Ribatejano João Henriques sai do Santa Clara depois de duas épocas de recordes

O Santa Clara confirmou que João Henriques fez frente ao Vitória de Guimarães o último jogo como treinador dos açorianos, pondo fim a uma ligação de dois anos entre o emblema de Ponta Delgada e o técnico.

Diogo Boa Alma, diretor desportivo do Santa Clara, revelou a saída do técnico do comando da equipa açoriana, de comum acordo entre ambas as partes.

“Este ponto conquistado permite-nos alcançar um registo histórico de 43 pontos, que, aliado à manutenção, faz com que tenhamos alcançado todos os objectivos para esta época, com a terceira época seguida na I Liga, algo inédito. Posto isto, tivemos uma conversa em que mutuamente decidimos que seria o fim deste ciclo, que foi de sucesso e não podia ser melhor para o Santa Clara”, disse o dirigente dos açorianos.

PUBLICIDADE

Diogo Boa Alma confidenciou que o técnico tem a vontade de avançar para um projecto de “ambições maiores” e disse que o clube pretende continuar a “cimentar” a sua posição na I Liga.

“O mister tem toda a capacidade para estar noutros desafios, mais exigentes, encarar outros objectivos, e certamente vai alcançar muita coisa bonita e tem sempre uma porta aberta nos Açores. Por seu turno, o Santa Clara quer cimentar a sua posição no futebol português e vai preparar-se para novos objectivos e continuar a cimentar o clube no principal patamar do futebol português”, terminou o director desportivo.

João Henriques disse em conferência de imprensa que deixa o clube de “coração cheio” e pronto para ser chamado a novos desafios.

“Não tenho nada concreto em termos de futuro, mas estou disponível para projectos ambiciosos e novos desafios, preferencialmente em Portugal. Se não aparecer o projecto indicado, ponderarei o estrangeiro. Mas a vontade é continuar em Portugal”, disse João Henriques.

Sobre a saída do Santa Clara, o treinador elogiou a postura do clube e a ‘negociação’ deste fim de ciclo em moldes que considerou “únicos”.

“Saio com o sentimento de dever cumprido. Cumprimos desportivamente, valorizamos activos e o clube vai para uma terceira época mais forte do que quando aqui chegámos. Sinto um tremendo gozo em ver a satisfação de uma região pelo que conseguimos nestas duas épocas e o orgulho que sentem. Isso enche-nos o coração”, terminou o treinador, que conduziu os insulares à sua melhor pontuação de sempre na liga portuguesa, com 43 pontos.

Em entrevista recente à agência Lusa, João Henriques tinha assumido que o final da época ao comando do Santa Clara era “o fechar de um ciclo” e revelou o desejo de dar o passo seguinte na carreira como treinador.

“Sou um treinador ambicioso. Sempre disse que me vejo a ouvir o hino da ‘Champions’ e continuo a acreditar que cada vez estou mais perto. Essa é a ambição e o meu foco para continuar a crescer, seja no Santa Clara, seja noutro local”, disse na altura o treinador.

Aos 47 anos, e depois de ter começado a carreira no Fátima, em 2016/2017, João Henriques passou pelo comando do Leixões, em 2017/2018, e nessa mesma época estreou-se na I Liga ao comando do Paços de Ferreira.

Em 2018/2019 rumou a Ponta Delgada para orientar o Santa Clara, acabado de regressar à I Liga, e na primeira temporada nos Açores ajudou o clube a alcançar a melhor classificação da sua história, o décimo lugar. Este ano, na sua segunda época no comando dos insulares, bateu o recorde de pontos e termina a época com 43, estando provisoriamente no oitavo lugar.

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS