Caros Leitores deste nosso Correio do Ribatejo.

As últimas semanas de atividade parlamentar continuaram a ser marcadas pela situação pandémica que vivemos e as suas consequências, quer a nível de saúde pública, quer ao nível económico e social. Daí serem vários os assuntos que estamos a acompanhar com proximidade no nosso Distrito e no País.

Um deles, o início do ano letivo, com o regresso às escolas de milhares de jovens, que decorreu de forma talvez mais calma que o inicialmente esperado, embora com algumas situações que exigiram e ainda exigem maiores cuidados, mas a verdade é que, fruto do trabalho desenvolvido pelas comunidades escolares com o apoio das autarquias, a atividade letiva decorre dentro da nova normalidade que a situação atual obriga para salvaguarda de todos.

PUBLICIDADE

Os Deputados do PSD eleitos pelo nosso Distrito abordaram igualmente o Governo sobre a razão que levou a que as empresas localizadas em centros urbanos, como Santarém, não pudessem candidatar-se ao programa +COESO, tendo também acesso a apoios ao emprego, sobretudo ao nível das microempresas. Esse esforço resultou numa resposta da Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, garantido que a situação é transitória e que, após a confirmação junto da Autoridade de Gestão do POR- Programa Operacional Regional Alentejo 2020, esta entidade procederá em breve à abertura de aviso, no âmbito do +COESO, para entidades sediadas no perímetro urbano de Santarém.

Este programa é essencial para micro, pequenas e médias empresas, e para entidades da economia social como instituições particulares de solidariedade social, Misericórdias, entre outros e, por esse facto, esperamos efetivamente que a abertura de Aviso se concretize a breve trecho, por ser tão urgente neste tempo para quem esteja nas necessárias condições de se poder candidatar.

Nas próximas semanas o Parlamento acolherá um conjunto de debates em torno do Orçamento de Estado para o próximo ano e a proposta de Lei das Grandes Opções do Plano, documentos que foram recentemente aprovados em Conselho de Ministros e entregues na Assembleia da República. Todos conhecemos algumas das medidas mais emblemáticas da proposta apresentada pelo Governo mas, ao maior partido da oposição, caberá apresentar alternativas e novas medidas e propostas que resultem num documento final que, efetivamente, seja capaz de combater os danos económicos e sociais causados pela Pandemia, protegendo as famílias, dotando o país dos meios necessários para que o acesso à saúde se faça sem restrições e proporcionando às empresas os apoios para alavancar o regresso da atividade económica a níveis que permitam gerar riqueza e crescimento para o nosso país. Os Deputados eleitos pelo PSD saberão desempenhar o seu papel nesta discussão, com elevação, em prol dos superiores interesses de Portugal.

Outro ponto a que prestamos especial atenção é à intenção, demonstrada pelo Governo, de submeter a aprovação da Assembleia da República um diploma que irá estabelecer o novo regime de criação, modificação e extinção de freguesias. Sobre este assunto o PSD assume que está disponível para equacionar alguns pequenos ajustamentos no atual mapa das freguesias nacionais, em situações excecionais e resultantes das vivências e efetivas necessidades de reorganização sentidas em alguns pontos do País.

Coisa diferente é, por razões de interesse meramente político e fruto de negociações para apoio à aprovação do Orçamento de Estado, criar uma série de novas freguesias, principalmente a tão pouco tempo de eleições autárquicas. Para já, ficamos satisfeitos com a posição já manifestada pela Presidência da República, que também entende que alterar o mapa das freguesias antes das próximas eleições autárquicas não seria adequado, pelo que poderá vir a vetar qualquer proposta nesse sentido, posição que consideramos ser sensata e um alerta aos decisores políticos.

Até uma próxima oportunidade de vos transmitir o que se passa no nosso Parlamento.
Com amizade, Isaura Morais

Isaura Morais – Deputada do PSD eleita por Santarém

PUBLICIDADE
Leia também...

Um ano horribilis, onde também houve coisas boas

2020 foi um ano estranho, inimaginável, difícil; muito difícil. Um ano horribilis…

Produção solar fotovoltaica sim, mas….

No final de dezembro de 2020 o país escandalizou-se com a morte…

Obras na Linha do comboio

Quarta feita, dia 10 de março, na Comissão de Economia, Obras Púbicas…

Orçamento de Estado para 2021

Caros Leitores deste nosso Correio do Ribatejo,É com muito gosto que volto…