Ana Henriques assume-se como uma verdadeira empreendedora. Criou uma empresa de raiz, a Glu Glu Free, para dar resposta à procura por uma alimentação mais saudável. Atenta à evolução do mercado, Ana decidiu, em plena pandemia, vender a empresa e lançar-se noutros projectos. “Construí esta empresa, esta estrutura, e achei que estava na altura de poder ajudar outras empresas. O nosso objectivo em 2021 é ajudar outras empresas a criar estrutura para comunicar com a pandemia”, assume.

Criou de raiz uma empresa. Como foi esse processo?

Os problemas gástricos provenientes da alimentação, tida por muitas pessoas como normal, eram alguns e urgia encontrar uma solução que me permitisse ter qualidade de vida, uma solução que dificilmente se poderia encontrar já preparada, na prateleira do hipermercado. Foi assim que dei início à confecção dos meus próprios snacks, feitos com ingredientes naturais direccionados para um estilo de alimentação “Paleo” e funcional. Comecei por uma pequena pesquisa, o que me levou ao encontro de vários estudos científicos e de vários casos de sucesso. O que começou com um pequeno teste pessoal, rapidamente se tornou numa necessidade de partilhar com o mundo, mostrando que sim, que é possível ter saúde e sabor no mesmo prato.

PUBLICIDADE

Como foi o processo de montar a empresa?

No primeiro ano éramos só duas pessoas, eu e uma amiga. Demorámos mais ou menos um ano a ter algum impacto no mercado.

Como foi a alavancagem da empresa, a que apoios recorreu?

Tivemos inicialmente o apoio do Centro de Negócios e Inovação de Rio Maior, que nos ajudou a ter estrutura, a criar um plano de negócios. Tivemos também o apoio do NERSANT que nos ajudou a montar uma produção e conseguir chegar mais longe.

Que importância teve a APRODER neste processo?

Foi um apoio muito importante. Primeiro, porque tivemos, e temos, a oportunidade de contactar com profissionais da área e perceber como trabalham. Temos acesso a muitas ferramentas às quais um empresário que esteja sozinho não consegue ter. A APRODER conta com um leque de técnicos especializados em várias áreas e torna-se tudo mais fácil. Obriga-nos, também, a sair da nossa zona de conforto, a ir à procura de outros clientes ou de estruturas maiores. Poderíamos acomodar-nos e criar o nosso negócio apenas em Rio Maior e sermos felizes, mas a APRODER ajudou-nos a ter uma visão mais alargada e a chegar a mais mercados.

Quais as principais características que identifica em si como empreendedora?

Sobretudo, acho que é preciso ter uma visão para além do normal e ter um pouco de resiliência. Saber que vamos deparar-nos com vários problemas e desafios e que temos a opção de desistir ou de tentar ir por outro caminho e decidir pela opção mais difícil. É importante não desistir. Manter o espírito de inovação. Ter sempre a visão de que o mundo está a mudar: estamos a atravessar uma altura que nos obriga a adaptações e a mudar a forma como fazemos o nosso negócio.

A Ana acabou por, em plena pandemia, vender a Glu Glu Free. Este novo paradigma libertou-a para outros projectos?

Percebi que tenho um espírito empreendedor desde sempre. Construí esta empresa, esta estrutura, do nada e achei que era chegada a altura de poder ajudar outras empresas, que não têm tanto conhecimento informático ou tanta estrutura para comunicar de outra forma. O nosso objectivo em 2021 é ajudar outras empresas a criar estrutura para comunicar com a pandemia. Tem sido um desafio fantástico: percebemos que há muitas empresas com dificuldade na comunicação. A geração mais nova tem essa facilidade e ferramentas para os ajudar a chegar lá, mas a geração anterior precisa de ajuda nessa componente.

PUBLICIDADE
Leia também...

‘Casa em Santarém’ nomeada para o prémio internacional de arquitectura

O projecto ‘Casa em Santarém’ da empresa dp arquitectos está nomeado para…

Rotary Clube de Santarém distingue Sílvia Carreira como profissional do ano

Sílvia Carreira, directora técnica do Lar Gualdim, do Centro Social Interparoquial de…

“Os pequenos produtores não podem ser abandonados”

João Mendes – Fio Dourado DIVULGAÇÃO APRODER O lagar de azeite da…

Câmara de Santarém pede 270 mil euros ao BEI para requalificação de avenida

A Câmara de Santarém aprovou hoje a contracção de um empréstimo de…