Utentes de Benavente protestam contra encerramento do posto CTT no Porto Alto

Comissão de Utentes do Concelho de Benavente (CUCB) promove hoje uma “acção pública” pela reabertura do posto dos CTT que foi encerrado há uma semana na povoação de Porto Alto, freguesia de Samora Correia, em Benavente.

Domingos David Pereira, coordenador da CUCB, disse à Lusa que o protesto, agendado para as 17:00, visa dar “expressão à indignação” da população e contestar a entrega do serviço dos CTT a um estabelecimento comercial que, no seu entender, “não serve”, já que deixa de ser prestado por funcionários formados especificamente para esse fim, além de não assegurar serviços como entrega de encomendas.

Na ação de hoje vai dar-se início a uma recolha de assinaturas para um documento que a CUCB quer entregar ao Governo em meados de fevereiro, porque “o poder político não pode assobiar para o lado”, disse Domingos Pereira.

Segundo o coordenador da CUCB, o posto dos CTT do Porto Alto (distrito de Santarém) foi aberto “não há muito” porque o existente na cidade de Samora Correia “estava congestionado”.

A ação segue-se à tomada de posição da Assembleia de Freguesia de Samora Correia, que, em dezembro, aprovou, por unanimidade, uma moção de protesto apresentada pela bancada da CDU.

A moção salientava as “graves consequências para a população” e para os trabalhadores, “que veem o seu posto de trabalho ameaçado”, e acusava a administração dos CTT de estar a “destruir o serviço postal” e de valorizar os lucros em detrimento do serviço público que “está obrigada a prestar”.

A CUCB endereçou ainda um protesto aos CTT pela retirada, na passada segunda-feira, da faixa contra o encerramento da estação que havia colocado no edifício e cuja devolução reclama “juntamente com um pedido de desculpas”, disse Domingos Pereira.

Quinta-feira, numa resposta à ANACOM, entidade reguladora do setor, os CTT asseguraram que nos Pontos CTT “são prestados todos os serviços previstos no Contrato de Concessão, incluindo a entrega de objetos avisados, e ainda o pagamento de vales de prestações sociais e de faturas, muitas vezes em horários alargados e com conveniência adicional para as populações”.

Segundo a empresa, no final de dezembro dispunha de “2.383 Pontos CTT em todo o País, o que representa um aumento de 66 desde a privatização em finais de 2013”.

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS