O treinador Jorge Peralta está de regresso ao futebol distrital pela porta do Águias de Alpiarça, uma equipa que voltou a ter seniores na época 2020/2021, mais de uma década depois da desistência. O técnico, que foi aposta forte dos directores do clube, aponta à subida à 1ª divisão distrital. Nesta entrevista, o treinador rejeita a ideia de relançamento na carreira após uma paragem de uma ano e afirma que estará no futebol enquanto houver paixão pelo jogo.

Está de regresso ao futebol distrital após uma época de ausência e pela porta do Águias de Alpiarça. O que o fez aceitar este projecto?
Aceitei este projecto porque gosto de desafios, o clube tem boas condições de trabalho e também senti que os directores fizeram um esforço enorme para me contratarem.

Sente que o ano de pandemia foi a altura certa para este hiato no futebol?
Esta pandemia veio para ficar, estragou a liberdade das pessoas, prejudicou muita gente inclusive no futebol, os clubes mais pequenos vão ter muitas dificuldades no futuro.

Que objectivos tem para esta equipa que se encontra na segunda divisão distrital?
Os objectivos são muito claros. Comigo à frente desta equipa vamos lutar em todos os jogos pelos três pontos, só assim conseguimos chegar a fase de apuramento de campeão e depois atacar os lugares de subida.

PUBLICIDADE

Subir de divisão é um desses objectivos?
Será um dos objectivos mas estamos a falar de uma equipa nova, de um clube que voltou a ter futebol sénior ao fim de muitos anos, temos de trabalhar muito e estar conscientes que não vai ser fácil, mas vamos lutar por isso.

Que tipo de jogadores pretende ter no seu plantel?
Quero apostar na formação do Águias de Alpiarça, ter jogadores jovens com alguns mais experientes. Quanto mais jogadores da terra tiver mais gente vai ao futebol.

As novas obras de reabilitação do Estádio Municipal de Alpiarça são essenciais para o clube alcançar outros patamares?
São óptimas as condições do estádio. Tem relvado novo, balneários novos, temos tudo para conseguir fazer um bom trabalho.

Como é que vê a competição distrital na próxima época?
Vejo com alguma preocupação. A situação da pandemia vai continuar, os casos todos os dias aumentam, espero que consigamos levar o campeonato sem interrupções. Para ser sincero, acho que os campeonatos estão competitivos mas mais fracos.

Já se sagrou campeão distrital e passou em vários clubes da primeira divisão. Estar na segunda divisão é dar um passo atrás na carreira ou considera que é um relançamento?
Já fui campeão distrital por duas vezes, ganhei três supertaças e não só treinei na primeira distrital, como treinei três clubes na antiga terceira divisão nacional, num deles tendo feito a sua melhor classificação de sempre. O Águias de Alpiarça vai ser o nono clube que vou treinar, não é a primeira vez que treino na segunda divisão, treinei os Empregados do Comércio (Caixeiros) na segunda e subi de divisão e por sinal até jogávamos em Alpiarça. Para mim não são passos atrás, são oportunidades. Sou treinador há 22 anos, o futebol a mim já me deu tudo, não ando à procura de relançar a minha carreira de treinador e faço isto porque tenho uma paixão enorme. No dia em que esse amor perca o encantamento vou para casa.

Tenciona treinar equipas de patamares profissionais e até onde sonha chegar?
Só treino as equipas que me convidam e tem de ser dentro da aquilo que eu acho que é o melhor para mim. Não sonho chegar a lado nenhum já com a minha idade. Agora só quero desfrutar do momento, e o agora é no Águias de Alpiarça. Vou com grande confiança e motivação para desfrutar e fazer um bom trabalho para deixar a minha marca de treinador e de homem.

Que mensagem quer deixar à massa associativa do clube?
A mensagem é muito simples, venham apoiar a nossa equipa, todos juntos seremos muito mais fortes.

PUBLICIDADE
Leia também...

“No Reino Unido consegui em três anos o que não consegui em Portugal em 20”

João Hipólito é enfermeiro há quase três décadas, duas delas foram passadas…

“Só o comportamento responsável de cada um pode ajudar a resolver a pandemia”

João Amado é comandante distrital de Santarém da PSP há quatro anos.…

“Não posso concordar com o folclore mediático feito à volta das primeiras administrações das vacinas”

António Pinto Correia, presidente da Mesa da Assembleia Sub-Regional da Ordem dos…

“Os enfermeiros nunca são só enfermeiros”

A melhor aluna do Instituto Politécnico de Santarém no ano lectivo 2019/2020…