Os tempos são de expectativa quanto ao futuro, mas até à data a região dos Vinhos do Tejo continua a crescer cá dentro e lá fora, fruto de um trabalho conjunto e continuado, que produtores e Comissão Vitivinícola Regional do Tejo (CVR Tejo) têm vindo a desenvolver nos últimos anos.

O primeiro quadrimestre deste ano dá conta de um aumento de 76,26% na certificação de Vinhos do Tejo, face ao período homólogo de 2019. De Janeiro a Abril de 2020, a CVR Tejo certificou quase 10,4 milhões de litros. Se analisarmos o ano de 2018, o valor total foi de 13,5 milhões e, em 2019, ascendeu aos 23,3 milhões de litros.

Um crescimento que tem sido pautado pela chegada de novos players à região – por reconhecerem o seu enorme potencial – e pelo compromisso de produtores de grande dimensão, como as três maiores adegas cooperativas da região e os maiores produtores privados, que têm certificado cada vez mais vinhos, aportando valor ao território, à fixação de pessoas e, por conseguinte, à economia local. Nota para o facto de a região produzir cerca de 61 milhões de litros, pelo que ainda há muito espaço ara crescer em termos de certificação.

PUBLICIDADE

Embora tivesse havido um abrandamento das vendas devido à pandemia de Covid-19 e, em especial, no canal HoReCa, onde as margens são bastante mais interessantes para os agentes económicos, as vendas de Vinhos do Tejo têm aumentado, em especial na grande distribuição (off trade), onde o Tejo já está bem representado.

Também os números relativos à exportação são animadores no que toca ao primeiro quadrimestre, com um aumento na ordem dos 39%, com destaque para mercados como França, Brasil, Suécia, China, Estados Unidos da América, Reino Unido, Polónia e Angola. Isto é reflexo de uma estratégia de identificação de mercados com maior potencial de crescimento para os Vinhos do Tejo e planeamento de acções de promoção, definidos pela CVR Tejo em conjunto com a Wine Intelligence desde há 5 anos. É inevitável associar também o constante crescimento da qualidade dos vinhos do Tejo bem patente no destaque que já lhes é dado pelas mais conceituadas publicações de vinhos e concursos internacionais.

O futuro é incerto e deve imperar a cautela, pelo que terão que se ir definindo mecanismos de correcção de estratégias assumidas anteriormente que certamente terão de vir a ser implementadas nos próximos tempos, sobretudo em mercados estratégicos seriamente atingidos também por esta pandemia, a fim de os vinhos do Tejo manterem boas performances de exportação no futuro próximo.

PUBLICIDADE
Leia também...

CRV Tejo propõe 14 espumantes para este final de ano

Espumante, um vinho com grande apetência gastronómica e ideal para vários momentos…

‘Tyto alba tinto 2016’ entre os 30 melhores vinhos do mundo

O International Wine Challenge (IWC), uma das competições de vinho mais rigorosas,…

Vinhos do Tejo voltam a destacar-se na ‘Wine Enthusiast’

Maio foi um mês quente com “chuva” de medalhas trazidas de concursos…

Antigas instalações do IVV renovadas para acolher “família do vinho” em Almeirim

Decorreu no final da tarde da passada quinta-feira, dia 11 de Outubro,…