O Conservatório de Música de Santarém (CMS) é uma cooperativa sem fins lucrativos que foi fundada em Maio de 1985 por um grupo de doze pessoas que entre si partilhavam o gosto pela música.

Na altura, um elemento do Centro Cultural Regional de Santarém, o Eng.º Malha Valente vinha conversando com pessoas amigas, onde se incluía Maria Beatriz Martinho, a actual presidente, sobre a necessidade de ter, em Santarém, um Conservatório.

“Quando se decidiu avançar com o projecto, ele convidou-me para ser uma das sócias fundadoras e foi para mim uma grande alegria. Disse logo que sim. Portanto, a minha ligação a esta casa aconteceu desde o início. Estivemos a trabalhar em salas alugadas ao Centro Cultural e, depois, no primeiro piso do Fórum, ao longo de 26 anos, em condições muito deficitárias. Mas nunca deixámos de fazer um trabalho digno e de colher frutos enormes, com alunos a ganharem inúmeros prémios a nível nacional e internacional”, recorda a responsável.


Prestes a celebrar 37 anos de uma vida conquistada etapa após etapa, onde a esperança, o positivismo, a determinação, o amor à Arte e os afectos pelo outro, estiveram sempre presentes, o CMS é hoje uma instituição plenamente consolidada.
Desde a sua fundação que o Conservatório, com paralelismo pedagógico, desenhado oficialmente pelo Ministério da Educação, lecciona em regime Articulado e Supletivo os cursos Básicos (do 1º ao 5º graus) e Secundários (do 6º ao 8º graus) de música.

O CMS é o único do país Escola Associada da UNESCO, distinção conferida após uma criteriosa análise do curriculum desta instituição de ensino, leccionando desde a Iniciação Musical (3/9 anos de idade) até ao 8º grau do Ensino Oficial, a partir do qual os alunos poderão ingressar em Escolas Superiores de Música quer em Portugal, quer no estrangeiro, como tem acontecido ao longo destes anos.

“Nós apostamos sempre muito na qualidade dos professores e um dos grandes objectivos é levar a Música a todos aqueles que não poderiam ter acesso a ela. Este foi sempre o nosso maior desígnio”, afirma Beatriz Martinho.

Em Outubro de 2011, o Conservatório de Música de Santarém mudou de instalações, para o Palácio João Afonso, obtendo-se um notável crescimento na sua comunidade que passou de uma centena de alunos para os cerca de 500 alunos actuais, contando actualmente com um corpo docente qualificado para o ensino artístico de cerca de quatro dezenas de professores.

“Faltava, de facto, o espaço físico. Como é sabido, vivemos durante 26 anos num edifício onde havia buracos nas escadas, onde chovia. Mas nós fomos sempre remediando. Nunca quisemos que o nosso conservatório – e quando digo nosso é no sentido amplo porque ele é da comunidade, é de Santarém – tivesse condições de funcionamento”, diz a presidente.

Sob tutela e Paralelismo Pedagógico do Ministério da Educação, o CMS oferece Ensino de Música para 23 instrumentos, em regime articulado, supletivo e livre, desde o Curso Básico até ao Secundário do Ensino Oficial.

E desde que passou para as novas instalações alargou a sua oferta formativa ao Ensino de Dança Contemporânea e Ballet, com a atribuição de Prémios de Desempenho atribuídos pela American Academy of Ballet de Nova Iorque.

“Desde que viemos para outro espaço físico, onde pudemos complementar o ensino da música com a classe de dança contemporânea e ballet, numa sala específica e feita para esse fim, cedida pela Câmara, pudemos concretizar o sonho de ter estas duas componentes juntas, o que faz todo o sentido”, acrescenta.

“Tudo isto nos dá uma grande força anímica e vontade de cada vez fazer mais coisas e de levar a Música a mais sítios e desenvolver novos projectos para abranger e envolver cada vez mais pessoas. Numa palavra: isto é uma paixão. É a minha segunda grande paixão. A primeira é a família, mas a segunda é o Conservatório e toda a sua envolvência”, confessa Beatriz Martinho.

O crescimento sustentado enquanto instituição (que acolhe as dimensões Pedagógicas, Administrativas e Financeiras) e o alargamento da sua oferta formativa foi acompanhado de inúmeras outras valências destinadas a fomentar a experiência e o contacto com público dos seus alunos e a divulgar o trabalho desenvolvido, nomeadamente: Música para Bebés; Coro Infantil; Coro de Jovens; Coro de Câmara; Coro do Conservatório; Orquestra; Grupos de Música de Câmara; Ensemble de Guitarra; Ensemble de Flautas Transversais; Orquestra de Cavaquinhos; Orquestra de Saxofones; Grupo de Música Contemporânea; Orquestra de Instrumentos Tradicionais; Oficina de Composição; Ateliers de Verão.

Simultaneamente, o Conservatório apoia e fomenta Projectos próprios dos seus alunos, dando-lhes uma dimensão de divulgação artística e de cidadania activa como o ‘Vórtice Project’, ‘Projecto Notas Soltas’, “Encontro de Coros de Jovens – Maiojovem”, “Concurso Nacional de Acordeão e Guitarra Portuguesa de Santarém” e “Festival de Piano da Alcáçova de Santarém”, “Scalaflauta – Masterclass de Flauta Transversal”, trabalhando para a partilha e vivência de música, na cidade, no concelho, no distrito, no país, através de Concertos de rua; Recitais; Concertos solidários; Medleys; Concertos Temáticos e participação de alunos em inúmeros grupos de música, ‘Sons da Memória’; ‘Música nos Hospitais’; Ateliers de Música; Semana Aberta.

Organiza inúmeras ‘MasterClasses’, Seminários, Audições, Palestras e Concursos, destinados não só a promover o trabalho artístico da sua comunidade, mas também a favorecer o intercâmbio de aprendizagens. Concerto pela Orquestra Barroca de Pontevedra, Espanha e outros.

A qualidade da formação ministrada pelo Conservatório é concretizada através do incentivo a complementos formativos oferecidos pela Instituição aos seus Docentes (uma delas em parceria com a Universidade de Estrasburgo) e plasmada pela participação e reconhecimento dos seus alunos em prémios conquistados em Concursos Nacionais e Internacionais.

Também pela participação dos seus alunos, a convite, em Orquestras e Concertos nacionais e internacionais, tais como no Centro Cultural de Belém e outros, promovidos pelo Ministério da Educação e pelo Conservatório de Música de Will, na Suíça.

O percurso de ensino musical superior dos alunos constitui, igualmente, um índice de qualidade do ensino no Conservatório, dos quais referimos a atribuição de Bolsa de Estudo em Londres pelo Rotary Club de Santarém, para frequência do Curso Superior de Viola Dedilhada; um convite para Maestro do Círculo Portuense de Ópera; convites para pós-graduação nos Estados Unidos, entre muitos outros.

Ciente do papel social do Conservatório enquanto Instituição de Ensino, esta Escola sempre se pautou por políticas de inclusão e difusão de conhecimento junto dos menos favorecidos, através de aulas gratuitas a crianças socialmente desfavorecidas, a crianças e jovens que solicitaram e provaram não ter condições financeiras para frequência de aulas, a religiosos e à inclusão de jovens com necessidades especiais nos seus quadros de pessoal.

A actividade do Conservatório estendeu-se também a aulas de música em jardins de infância da Rede Pública de Ensino, em Centros de Dia e, através de projecto próprio, em momentos musicais em Lares e Centros de Dia do concelho de Santarém.
A intensa actividade desenvolvida pelo Conservatório nestes anos de vida só foi possível graças ao trabalho em rede e às parcerias estabelecidas, nomeadamente Câmara Municipal de Santarém; Centro Cultural Regional de Santarém; Instituto Politécnico de Santarém; Hospital Distrital de Santarém – Serviços de Pediatria; Diocese de Santarém; Santa Casa da Misericórdia de Santarém; Fundação Passos Canavarro; Centro de Investigação Joaquim Veríssimo Serrão; Escola Superior de Música de Lisboa; Alcanede MEO; Rotary Club de Santarém; Ordem dos Advogados, entre muitas outras instituições, como faz questão de sublinhar Beatriz Martinho.

E, como Escola Associada da UNESCO, não esquece o lema principal pedagógico em favor de uma educação de qualidade, que assenta nos quatro pilares de educação segundo Delors: “Aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a viver juntos, aprender a ser”.

Leia também...

A herdade no Alviela e o pergaminho que ia para o lixo

Pergaminho do século XII salvo do lixo em Vale de Figueira.

Lenda da Sopa da Pedra chega às crianças de todo o mundo através da Expo 2020 Dubai

A lenda da Sopa da Pedra, prato típico de Almeirim, foi incluída…

Associação ‘Praça Maior’ fecha gestão da Praça de Touros ‘Celestino Graça’ com sentido de missão cumprida

A Associação “Praça Maior”, responsável pela organização das corridas de toiros na…

Gilberto Gil dá concerto com Adriana Calcanhotto em Santarém

A 7 de Novembro.