“Este livro é o melhor aliado de quem pretende apresentar a melhor versão de si mesmo”

Vasco Ribeiro lançou recentemente o seu novo livro ‘Etiqueta Moderna: ‘O Manual das Novas Boas Maneiras’. Natural de Caldas da Rainha, Doutor em Ciências Empresariais, na especialidade de Marketing e docente no ISLA Santarém é presença habitual em programas de televisão e rádio, como comentador da área da etiqueta. É ainda autor do blogue ‘A Hora da Etiqueta’.

O Vasco é professor universitário na área do turismo e da hotelaria e especialista em etiqueta. O que o levou a escrever este Manual das Novas Boas Maneiras?
A razão pela qual decidi escrever este livro deve-se ao facto de que havia a necessidade de renovar e actualizar a etiqueta em algumas áreas, pois nenhum livro de etiqueta existente até então no mercado dava ainda resposta. Foi com o intuito de dar corpo a um novo paradigma da etiqueta e das boas maneiras que desenvolvi este pertinente manual. ‘Etiqueta Moderna’ é um livro prático que, adaptando e actualizando as regras clássicas, apresenta uma versão renovada da etiqueta. Se tudo evolui, a etiqueta não podia ficar para trás ou desactualizada.
A etiqueta não desapareceu e tão-pouco é algo fútil ou apenas reservado a pessoas snobes, com pedigree social ou que nasceram em «berço de ouro». Em resumo, faltava um livro de etiqueta que respondesse aos desafios da sociedade atual.

Como é que está estruturado este livro?
Está estruturado em cinco grandes partes: Etiqueta Moderna – Princípios Gerais; Etiqueta Moderna no Emprego; Etiqueta Moderna em Público; Etiqueta Moderna à Mesa; KIT SOS de Etiqueta Moderna e, por fim, os 12 Erros Mais Comuns da Etiqueta Moderna.

Que conselhos podemos encontrar no livro?
O livro está repleto de conselhos a nível pessoal, social e profissional, bastante úteis no dia-a-dia de cada um de nós. Podemos facilmente encontrar uma actualização de ideias que não dispensa a melhor tradição, tais como: Smartphone à mesa: sim ou não?, A mulher pode ou não pagar o jantar?, Devemos saber estar nas redes sociais?, Que roupa vestir para uma entrevista de emprego?, Com se faz networking?, E como se constrói uma imagem profissional?.

O que distingue este livro de etiqueta dos outros já existentes no mercado?
Em tempos de grande sofisticação tecnológica, este livro dá a conhecer os preceitos e os comportamentos correctos em ocasiões e contextos aos quais a etiqueta clássica não sabia dar resposta. Dos princípios gerais da etiqueta moderna, passando pelos eventos, pelo emprego, pelo estar à mesa, por recepções em casa ou por viagens para outros países, este livro é o melhor aliado de quem pretende apresentar sempre a melhor versão de si mesmo.

Considera que os portugueses conhecem os conceitos básicos de comportamento?
Não duvido de que os conheçam. Mas daí a aplicarem-nos diariamente sem falhas ou quebras, nas mais variadas situações, é algo que ainda nem sempre acontece.

Fala na apresentação do livro que as novas gerações operam transformações nos comportamentos face às gerações anteriores. Que alterações do comportamento são essas?
As alterações de comportamento são sobretudo no digital, que em muito se relacionam com as redes sociais, passando não só pelo uso dos telemóveis à mesa numa óptica pessoal e profissional mas também pelas plataformas electrónicas de transportes e ainda pelo ensino superior.

A quem é dirigido este livro?
O livro é dirigido literalmente a todas as pessoas, dos «8 aos 80», de qualquer estrato e condição social ou profissão.

Que conselhos dá a «quem pretende apresentar sempre a melhor versão de si mesmo»?
O maior conselho que posso dar é que conheçam este livro e tirem o maior partido dele, colocando em prática os 25 temas que são abordados, para promover a sua melhor versão em sociedade.

Pensa em lançar um novo livro?
Sim, a partir do momento em que represento a nova geração da Etiqueta em Portugal.

Viagem de sonho?
Índia.

Música imprescindível?
Música clássica (em especial a Sinfonia n.º 40 de Mozart).

Quais os seus hobbies preferidos?
Ir ao cinema, conhecer novos conceitos de hotéis e visitar monumentos

Se pudesse alterar um facto da história, qual escolheria?
O conceito de Etiqueta, que teve origem em França, no reinado de Luís XIV.

Se um dia tivesse de entrar num filme, que género preferiria?
Documentário.

O que mais aprecia nas pessoas?
Etiqueta e sentido de humor.

O que mais detesta nelas?
Arrogância e a típica «falta de chá» em ocasiões especiais.

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS