O Dia da Mãe está mesmo a chegar: celebra-se no próximo domingo, dia 2 de Maio. Se no Dia do Pai, as escolhas de Vinhos do Tejo tinham em comum o facto de serem 100% feitos a partir de Castelão – a casta tinta mais presente na região, também conhecida como Periquita ou João de Santarém –, nesta efeméride impõe-se que sejam néctares da Fernão Pires – tão feminina, que é também conhecida como Maria Gomes –, a casta branca mais expressiva da região e, curiosamente de Portugal. De uma rainha para outra…, numa harmonização perfeita.

Os Vinhos do Tejo eleitos são cinco e somam a particularidade de serem estreias. Uma mão cheia de novidades absolutas, que assim fazem aumentar o portefólio de monovarietais de Fernão Pires do Tejo, consolidando a estratégia de promoção da Comissão Vitivinícola Regional do Tejo (CVR Tejo), que nos últimos anos está alavancada nesta casta.

Um sinal de que a união faz a força e de que são seguros os caminhos que os Vinhos do Tejo estão a trilhar, em benefício de um bem (maior) comum. Importa contextualizar, dizendo que a Fernão Pires é a casta branca mais plantada em Portugal, tendo na região dos Vinhos do Tejo a sua maior expressão: ocupa 30% da totalidade de vinhas à beira Tejo plantadas.

Castelo Templário Collection Fernão Pires branco 2020 (Adega Casal Martins) – €4,00

PUBLICIDADE

O ‘Castelo Templário Collection branco 2020’ é o primeiro monocasta de Fernão Pires da Adega Casal Martins, projecto situado em Tomar e liderado por Anca Poiana Martins. Um branco de cor citrina, com um exuberante aroma tropical, com notas de maracujá e frutos citrinos, característicos da casta. Na boca, é um vinho mineral, com boa acidez, que lhe confere frescura e um final persistente. Ideal para acompanhar saladas e peixes, é um branco que custa cerca de €4,00.

Falua Reserva Unoaked branco 2019 (Falua) – €14,49

Da vindima de 2019, o ‘Falua Reserva Unoaked’ é mais uma estreia de um Fernão Pires em estreme, sem estágio em madeira, como o nome indica, a fim de mostrar a casta da forma mais singela. As uvas têm origem na famosa vinha arenosa de calhau rolado da Falua, em Almeirim. Um branco de cor citrina aberta. Os citrinos são também presença no aroma, que soma um ligeiro mineral. No palato, sente-se uma boa estrutura, com uma acidez natural bem marcada e casada, conferindo-lhe grande frescura e persistência. Um vinho que acompanha muito bem saladas, marisco e, em especial, peixe assado ou grelhado, ideias para esta altura do ano!

Casal das Aires Vinhas Velhas Fernão Pires branco 2019 (Casal das Aires) – €43,00

Casal das Aires é um projecto recente, mas com muita sensação de território, ou não fosse a sua mentora uma ribatejana de gema. Falamos de Joana Pinhão, enóloga reconhecida pelo seu trabalho no Douro, mas que abraça agora um projecto de vinhos em nome próprio na sua terra natal, Alpiarça. Depois de um Chardonnay e de um Pinot Noir, impunha-se um belo exemplar de Fernão Pires, de Vinhas Velhas plantadas no terroir da Charneca. De 2019, é um branco fermentado em barricas de 500 litros, com estágio de 10 meses, durante o qual de mantêm as borras finas em suspensão. Antes de engarrafado, estagia 3 meses em inox, seguindo-se um estágio de 10 meses em garrafa. É um branco de cor amarelo palha, com líchias, mandarinas e uma combinação de citrinos e baunilha a sobressair no aroma. Na boca é cheio e harmonioso, com boa estrutura e acidez equilibrada e um final de boca persistente.

Casa Paciência Abafado Fernão Pires Reserva branco 2019 (Casa Paciência) – €10,00

Também de 2019 e com origem em Alpiarça, o novo abafado da Casa Paciência. Um Reserva feito em exclusivo da casta Fernão Pires e que impressiona pelos aromas de mel, amêndoas e passas de uva, assim como pela sua suavidade. Embora branco é um chamado vinho de sobremesa, que pode igualmente ser degustado como aperitivo, sempre fresco, entre os 8 e os 10.ºC. A harmonização pede queijos fortes, fruta fresca e em calda, pampilhos – doce típico da região de Santarém –, leite-creme, chocolate preto e salgado. É novo, mas foi já premiado com medalha de ouro no Concurs International Citadelles du Vin, em França.

CTX Licoroso Superior branco 2014 (Adega do Cartaxo) – €11,70

Genuínos, típicos e autênticos, os vinhos da Adega do Cartaxo servem excepcionalmente os dois desígnios que se propõem: um elevado grau de qualidade e a satisfação e reconhecimento dos verdadeiros apreciadores de vinho. Depois do sucesso do ‘CTX Licoroso’, surge agora o ‘CTX Licoroso Superior’, um abafado com estágio durante quatro anos em depósito e um ano em barricas de carvalho francês de 500 litros. De aspecto límpido, tem uma bonita cor de amarelo âmbar. No aroma é intenso e complexo, com notas de fruta cristalizada, uva passa, mel e ligeira baunilha. Um vinho intenso, doce e fresco, com corpo, volume e untuosidade. Para beber como aperitivo, com gelo e limão, ou harmonizado com todo o tipo de sobremesas doces ou fruta. Dever ser servido fresco, não ultrapassando os 11.ºC.

PUBLICIDADE
Leia também...

‘Casa em Santarém’ nomeada para o prémio internacional de arquitectura

O projecto ‘Casa em Santarém’ da empresa dp arquitectos está nomeado para…

Mercadona constrói maior bloco logístico da empresa em Almeirim

A Mercadona, maior cadeia espanhola de supermercados, anunciou que vai construir um…

Moinho de Fau e Restaurante no Jardim das Portas do Sol colocados em hasta pública

A Câmara Municipal de Santarém vai realizar um hasta pública, no próximo…

Rotary Clube de Santarém distingue Sílvia Carreira como profissional do ano

Sílvia Carreira, directora técnica do Lar Gualdim, do Centro Social Interparoquial de…