Prémio literário e publicação de inéditos no centenário da morte de Marcelino Mesquita

A Câmara do Cartaxo vai assinalar o centenário da morte do dramaturgo Marcelino Mesquita com um programa que inclui a publicação de duas obras inéditas, um prémio literário e um concurso de rótulos para um vinho comemorativo.

Na apresentação do programa e da comissão organizadora, realizada esta quarta-feira, 27 de Março, à noite na Biblioteca Municipal Marcelino Mesquita, a vereadora da Câmara do Cartaxo com o pelouro da Cultura afirmou que a iniciativa visa “preservar e manter viva a memória” do médico, escritor, jornalista e político cartaxense que viveu na segunda metade do século XIX, início do século XX.

Elvira Tristão sublinhou o interesse que a figura de Marcelino Mesquita tem suscitado na academia, com pelo menos três dissertações de mestrado sobre a vida e obra do autor, duas delas realizadas por membros da comissão organizadora das comemorações.

As peças de teatro de Marcelino Mesquita foram reunidas pela Imprensa Nacional, numa edição de quatro volumes, tendo o município decidido incluir nas comemorações a edição, com lançamento em 30 de Novembro, de duas obras inéditas, uma das quais, “Um Episódio de Guerra”, será apresentada dia 9 de Junho, pelo grupo de teatro Kaspiadas, da Casa do Povo de Pontével, no Centro Cultural do Cartaxo.

O Prémio Literário Marcelino Mesquita, que o município quer passar a realizar de dois em dois anos, tem nesta primeira edição tema livre, decorrendo a entrega de textos a concurso (aberto a maiores de 16 anos naturais ou residentes em território nacional) entre 10 de Maio e 10 de Setembro. O vencedor será anunciado em 16 de Novembro, sendo o prémio a edição em 2020.

Elvira Tristão afirmou que os alunos de artes visuais da Escola Secundária do Cartaxo foram desafiados a participar num concurso de rótulos para garrafa de vinho evocativa de Marcelino Mesquita, a decorrer até 30 de Abril, estando a entrega do prémio agendada para 18 de Maio, no Centro de Promoção Vitivinícola do Museu Rural e do Vinho, onde ficarão patentes os trabalhos a concurso até 18 de Setembro.

O vinho (Bridão, da Adega Cooperativa do Cartaxo) com rótulo evocativo de Marcelino Mesquita será lançado em 14 de Setembro, na Gala do Rei e Rainha das Vindimas, acrescentou.

No dia da entrega do Prémio Literário (16 de Novembro) será inaugurada, no Salão das Artes da biblioteca municipal, uma exposição sobre a vida do dramaturgo e, no Centro Cultural, será apresentada pela turma de teatro da Universidade Sénior do Cartaxo, a peça “Na Berlinda”, adaptada e encenada por José Manuel Rodrigues a partir de um conto da antologia “Na Azenha”.

O dia da morte do dramaturgo, 7 de Julho, será assinalado com a deposição de uma placa evocativa no seu túmulo.

O programa encerra com um colóquio sobre Marcelino Mesquita, dia 30 de Novembro, no auditório de cinema do Centro Cultural do Cartaxo, tendo o presidente da Câmara do Cartaxo, Pedro Magalhães Ribeiro, realçado a abertura a que seja enriquecido por outras iniciativas, nomeadamente das escolas.

A associação de criação artística Área de Serviço anunciou a realização de um documentário sobre Marcelino Mesquita.

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS