Nos últimos seis meses de 2020, o Rio Maior Sports Centre foi uma verdadeira casa para os melhores atletas olímpicos do Brasil, num ano muito atípico, em que os atletas em todo o mundo se viram obrigados a alterar a sua preparação para os Jogos Olímpicos de Tóquio, adiados para 2021.

“No Rio Maior Sports Centre toda a equipa trabalhou para proporcionar, mais uma vez, a excelência dos nossos serviços. A versatilidade das nossas instalações para a prática de muitas modalidades desportivas, foi colocada à prova, correspondendo a elevados graus de exigência. Tudo foi preparado ao pormenor, com um enorme sentido de responsabilidade”, refere a direcção do espaço.

Os primeiros atletas chegaram em Julho, usufruindo, em segurança, dos muitos serviços que o espaço proporciona aos desportistas de alto rendimento. Ao longo destes meses, o Centro de Alto Rendimento acolheu mais de 166 atletas, 68 directores e restante staff de apoio, em 13 modalidades. No centro de estágios foram servidos 5281 almoços, 5226 jantares, com um total de 4027 dormidas.

PUBLICIDADE

O espaço recebeu atletas e equipas de modalidades como o judo, boxe, natação, natação artística, maratonas aquáticas, triatlo, esgrima, ténis, atletismo, lutas e rugby feminino, com a equipa do Brasil a realizar jogos de treino com as Selecções de Portugal e Espanha, num dos relvados de treino. Durante alguns dias a Selecção Espanhola, também ficou alojada em Rio Maior. Já na fase final, no mês de Dezembro, ainda esteve em Rio Maior o campeão olímpico de salto com vara, do Rio de Janeiro 2016, Thiago Braz.

Mas a escolha dos melhores atletas do Brasil, no final de 2020 e início de 2021, tem continuidade com a estadia da Selecção Nacional de Andebol, que chegou no domingo dia 27 de Dezembro, num estágio até dia 7 de Janeiro, em preparação para o Campeonato do Mundo, a realizar-se no Egipto, entre os dias 13 e 31 de Janeiro.

Já no final desta designada Missão Europa, Marco La Porta, vice-presidente do COB, avaliou toda a organização em Rio Maior como “muito positiva”.

“Desde que viemos para cá, tivemos objectivos muito claros de proporcionar a melhor estrutura, em segurança, para os atletas. E temos a certeza que todos os objectivos foram conseguidos. Temos o feedback positivo dos atletas. Todas as instalações são de muita qualidade e foram tomadas todas as medidas necessárias em virtude da pandemia. Os atletas foram muito bem recebidos, todos se sentiram muito bem acolhidos. Isso foi muito importante e irá ter impacto visível nos Jogos em Tóquio. Estamos numa fase de incerteza para o próximo ano no Brasil, havendo a possibilidade de voltarmos a Rio Maior em 2021.Estamos muito satisfeitos e temos a certeza que todos os objectivos foram atingidos”. destaca o responsável.

PUBLICIDADE
Leia também...

Árbitro ribatejano apita jogo entre Estrela da Amadora e SL Benfica

João Bento, árbitro da Associação de Futebol de Santarém, vai apitar o…

Benfica do Ribatejo incrédulo com decisão da Associação de Futebol de Santarém

O Grupo Desportivo de Benfica do Ribatejo está incrédulo com a resposta…

Jogador do Alverca caiu inanimado no jogo contra o U. Almeirim

O jogador do Alverca Alex Apolinário caiu hoje inanimado durante o jogo…

Morreu jogador do Alverca Alex Apolinário

 O futebolista brasileiro Alex Apolinário, do Alverca, morreu esta quinta-feira, 7 de…